Familiares fazem manifestação pela morte de Kauan, baleado na Chatuba

'Estou me sentindo horrível, mas temos que ter força. Se não fizer por ele quem vai fazer?', desabafa a mãe do menino

Por Ana Mello*

Parentes de Kauan, de 12 anos, que morreu após ser baleado na comunidade da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense, fazem manifestação. Na foto, Luciana Cristina Pimenta, mãe do menino.
Parentes de Kauan, de 12 anos, que morreu após ser baleado na comunidade da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense, fazem manifestação. Na foto, Luciana Cristina Pimenta, mãe do menino. -

Rio - Familiares realizam manifestação pela morte de Kauan Noslinde Pimenta Peixoto, de 12 anos, nesta quarta-feira. O adolescente foi baleado e morto durante uma ação da Polícia Militar (PM) na comunidade da Chatuba, no sábado, quando saía para comprar um lanche. O ato acontece na Rua Arthur Oliveira Vechio, no Centro de Mesquita, na Baixada Fluminense.

De acordo com Andrei Rodrigues Almeida, amigo da família e padrinho do menino, o protesto é uma forma de cobrar Justiça pelo que aconteceu. "De imediato a gente procura quem fez isso com o Kauan, para que venha a ser punido. Queremos uma manifestação 100% pacífica. Nosso objetivo é entrar com o certo para sair com o correto", explica Andrey.

Ele acrescenta ainda que não culpa a Polícia Militar, mas que é necessário que as testemunhas vão à delegacia para que o caso seja esclarecido.

"Em nenhum momento a gente acusa 100% a Polícia Militar. Deixo bem claro que essa repercussão que tá tendo é porque testemunhas afirmam as coisas para a família. Mas as pessoas estão se recusando a falar. Agora eu só quero ouvir quem for para a delegacia depor, porque estamos sofrendo."

Luciana Cristina Nascimento, mãe do menino, disse ao DIA que fotos do filho estão sendo divulgadas com notícias falsas para difamá-lo. Ela, o pai do menino, Edmilson Peixoto, amigos e parentes estão reunidos em frente ao Fórum de Mesquita para pedir Justiça ao caso.

"Estou me sentindo horrível, mas temos que ter força. Se não fizer por ele, quem vai fazer?", desabafa Luciana.

*Estagiária supervisionada por Cadu Bruno

Galeria de Fotos

Parentes de Kauan, de 12 anos, que morreu após ser baleado na comunidade da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense, fazem manifestação. Na foto, Luciana Cristina Pimenta, mãe do menino. Estefan Radovicz / Agencia O Dia
Na segunda-feira, houve protesto durante o sepultamento de Kauan Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia

Comentários