Por Maria Luisa de Melo

Depois de cinco dos seis deputados estaduais presos serem empossados na cadeia, dando chance aos seus suplentes de assumir o mandato, os substitutos começarão a trabalhar hoje. Ontem, eles assinaram o termo de posse, em ato reservado. E, durante a tarde, participarão de sessão extraordinária, prestando compromisso ao microfone.

Carlo Caiado (DEM), Sérgio Fernandes (PDT), Capitão Nelson (Avante) e Sergio Loubak (PSC) são esperados. Já o suplente Coronel Jairo, não poderá assumir a vaga porque também está preso. Segundo o regimento interno da Casa, o suplente que não se apresenta tem o prazo de até 30 dias para assumir. Caso isso não aconteça, outro suplente do partido pode ser convocado.

Apesar da decisão da Mesa Diretora de empossar os presos, alguns parlamentares defendem a cassação do grupo, o que só pode ser feito pela Comissão de Ética. Prestes a ser formada, a Comissão já tem cinco de seus sete membros. Também serão escolhidos o corregedor e o vice-corregedor da Casa.

"O parlamento precisa fazer a sua parte. Se comprovada quebra de decoro, avançamos com a cassação", disse Flávio Serafini (Psol)

Ontem, o Ministério Público do Rio instaurou procedimento para apurar a legalidade da posse dos deputados presos. Em nota, a assessoria da Casa informou que encara o procedimento 'com tranquilidade', pois atua dentro da legalidade. 

Você pode gostar
Comentários