'Um descaso total', diz motoqueiro que quase perdeu veículo com a chuva

De acordo com Marcelo, ele voltava do trabalho quando começou o temporal e teve que largar a moto na rua, por conta da enchente

Por O Dia

Equipes tentam retirar moto atolada em lama
Equipes tentam retirar moto atolada em lama -

Rio - "É um sentimento de descaso total com a população. Você paga um IPTU caro para ter um retorno desse". Foi assim que o motoqueiro, Marcelo Cruzeiro, de 42 anos, morador na Lagoa, um dos bairros mais afetados pela chuva que atingiu a cidade do Rio na noite de segunda-feira (08), resumiu o sentimento de quase perder o veículo durante o temporal. 

Fotos mostram o caos provocado pelas chuvas no Rio

De acordo com Marcelo, ele voltava do trabalho quando começou a chover e teve que largar a moto na rua, por conta da enchente. "Estava na altura do Parque da Catacumba, quando passei por uma poça e aí decidi parar com outros motoqueiros, porque a chuva piorou. Teve um deslizamento, quebrou um ônibus, pegou duas motos e três carros ficaram com terra até a porta", relatou. 

Até o momento, sete pessoas morreram em decorrência da chuva. O município do Rio segue em estágio de crise. Segundo o Centro de Operações, seguem totalmente bloqueadas a Avenida Niemeyer, Grajaú-Jaguarepaguá, Alto da Boa Vista e o trecho da Avenida Epitácio Pessoa. A Prefeitura recomenda que as pessoas fiquem em casa. 

De acordo com a Defesa Civil, 45 sirenes foram acionadas nas comunidades. A previsão do tempo indica que a chuva deve continuar até quarta-feira, informou o Alerta Rio. 

 

 

Comentários