Rio ganha reforço para produção de cerveja

R$ 600 milhões para cultivo de lúpulo deverão reduzir preços, gerar empregos e desenvolver tecnologia

Por RENAN SCHUINDT

Produtores de lúpulo de Nova Friburgo se dizem animados com linha de crédito
Produtores de lúpulo de Nova Friburgo se dizem animados com linha de crédito -

Rio - O Rio de Janeiro deu um passo para ampliar a produção de cervejas artesanais. Foi anunciada na tarde desta quarta-feira, a criação de linha de crédito rural para exploração do lúpulo, ingrediente que dá sabor e aroma da bebida. No primeiro momento, serão disponibilizados R$ 600 milhões, para pequenos e médios produtores da Região Serrana. Com a medida, o Rio passa a ser o primeiro estado do Brasil a conseguir registro do Banco Central para operar este tipo de crédito. Atualmente, o mercado brasileiro é abastecido por produtos importados. Estima-se que o país deva importar cerca de 4 mil toneladas do grão por ano.

Em Nova Friburgo, cidade que no ano passado foi reconhecida por Lei Estadual, como Polo Cervejeiro Artesanal, a notícia animou produtores e empresários. Um dos primeiros a cultivar o lúpulo na região, Paulo Roberto Cordeiro pretende dobrar sua produção. "Estamos crescendo aos poucos. Temos muitas marcas utilizando nosso lúpulo. Fortifica o nosso movimento e traz mais visibilidade para a região", afirma. Segundo o agricultor, que produz sua própria cerveja, a melhor parte é contar com um grão mais fresco. "No geral, o lúpulo utilizado no Brasil já chega velho. São safras de um ou dois anos. Agora, teremos uma quantidade maior e de melhor qualidade".

Acostumado a utilizar o lúpulo local, o mestre-cervejeiro e empresário Gabriel Thuler Costa, diz que se sente animado com a medida. "Cerca de 20% das nossas cervejas são feitas com o lúpulo friburguense. Cada vez mais tenho introduzido em nossas pesquisas. Os resultados são muito bons". Segundo o jovem, o programa poderá trazer benefícios para várias esferas. "Com o aumento da produção, pode haver redução nos preços. Além de ser um incentivo para o agroturismo. Vai gerar mais oportunidades de rendimento e de avanço tecnológico", diz o dono da cervejaria Alpendorf.

Para Rodrigo Barufa, sócio da Cervejaria OverHop, produzida em Angra dos Reis, a medida é importante, mas ainda está cedo para traçar o impacto no setor. "Considero um grande avanço, mas ainda não é tudo. No caso das cervejarias de maior porte, o impacto só será sentido daqui a alguns anos. Neste primeiro momento a produção beneficiará as microcervejarias, já que, na teoria, o custo poderá ser menor". Ainda segundo Barufa, o investimento ideal deve contemplar as áreas de pesquisa e tecnologia. "É importante investir em estudos. Só assim vamos alcançar outros patamares quando se fala em qualidade".

Para o prefeito de Friburgo, Renato Bravo, a liberação da linha de crédito vai além dos produtores. "O município passa por crescimento exponencial no número de cervejarias e microcervejarias atraídas por lei municipal que concede incentivos fiscais para a produção. Isso estimula nossa economia abrindo postos de trabalho e atraindo turistas".

 

Galeria de Fotos

Produtores de lúpulo de Nova Friburgo se dizem animados com linha de crédito Reprodução de internet
Gabriel Thuler aposta no lúpulo local para o crescimento de sua marca Reprodução Instagran
Gabriel Thuler (ao cento) utiliza lúpulo local em 20% de suas cervejas Reprodução Instagran

Comentários