Desabamento na Muzema ocorreu em abril e matou 24 pessoas - Hudson Pontes/Prefeitura do Rio
Desabamento na Muzema ocorreu em abril e matou 24 pessoasHudson Pontes/Prefeitura do Rio
Por O Dia

Rio - O local onde desabaram dois prédios na comunidade da Muzema, será transformado em um parque em memória dos 24 mortos e sete feridos, vítimas da tragédia. O anúncio foi feito por meio de um vídeo divulgado na manhã desta quarta-feira pela assessoria da prefeitura. 

Nas imagens, Crivella afirma que o local é uma área de preservação ambiental e que o parque servirá como lembranças de uma lição dolorosa sobre construção irregular: “É importante que esse momento doloroso, trágico, muito triste que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro nos dê uma lição inesquecível, de que para construir é necessário ter as devidas licenças dos órgãos competentes, para que nunca mais a gente sofra o sofrimento que passamos com as mortes na Muzema”, disse.

 

A demolição dos outros dois prédios, do condomínio Figueiras do Itanhangá, que também estão em área irregular, foi outro assunto abordado pelo prefeito. Ele lembrou que os trabalhos começaram na manhã desta terça-feira e que os edifícios com moradores estão escorados para que as pessoas possam ir ao local para retirar seus pertences. 

Além de Crivella, o secretário municipal de Infraestrutura e Habitação, Sebastião Bruno, também participou do vídeo. Ele explicou que serão demolidos ao todo 16 prédios no local: “Começamos o primeiro hoje. Essas demolições terão que ser muito cuidadosas, porque ainda tem prédios ocupados ao lado dos que vão ser demolidos. A maioria vai ser na marreta, com mão de obra, muito poucos prédios poderão ser demolidos com equipamentos. É um processo lento, mas que começa hoje e vai até o final”, explica. 

Demolição

Os trabalhos de demolição dos prédios irregulares é realizado pela Secretaria Municipal de Conservação (Seconserva). Quatro famílias já viviam em uma prédio ainda em construção. A estrutura foi retirada manualmente. Durante a primeira etapa, uma retroescavadeira é utilizada na demolição de prédios próximos à tragédia.

Um prédio de oito andares ainda será escorado para que a defesa civil possa entrar no edifício e avaliar as reais condições do local. Apenas após a determinação do órgão, os moradores poderão retornar e retirar seus pertences. A informação é de que este trabalho seja concluído nesta quinta-feira. 

Você pode gostar
Comentários