Sistema de aquaponia passa a ser implementado em escolas da rede pública de Petrópolis

Técnica de reutilização da água da chuva vai ser utilizada para a criação de peixes e o cultivo de hortaliças, e deve beneficiar cerca de 5 mil pessoas

Por Felipe Rebouças*

Programa que faz reaproveitamento de água deverá beneficiar cerca de cinco mil petropolitanos
Programa que faz reaproveitamento de água deverá beneficiar cerca de cinco mil petropolitanos -

Rio - Escolas públicas de Petrópolis vão ganhar sistema de reutilização de água da chuva. Encabeçado pelo Rotary Club e a ONG Projeto Água, o programa foi batizado de 'Aquaponia — cidadania e sustentabilidade em ambiente escolar' e prevê o uso da técnica de aquaponia para promover a criação de peixes e o cultivo de hortaliças. Em um primeiro momento, oito colégios vão ser beneficiados. 

Com o objetivo de conscientizar os estudantes e a comunidade local sobre a importância da preservação da água e da alimentação saudável, sem agrotóxicos, o projeto visa a produção de alimentos orgânicos que poderão ser usados na merenda escolar. 

"Do ponto de vista educacional, é um projeto inovador, faz contraposição à agricultura tradicional e mostra à sociedade civil que há outras formas de produção agrícola", diestaca Anderson Campos Felipe, coordenador de educação ambiental da secretaria de Meio Ambiente de Petrópolis.

De acordo com o idealizador do projeto e presidente do Rotary Club em Petrópolis, Byron Mendes, o programa está em fase de implementação e deve entrar em prática até o meio do ano. Segundo ele, até 10 litros d'água serão armazenados para serem reutilizados no sistema de aquaponia.

Mendes acrescenta que enquanto as instalações não forem concluídas, uma série de profissionais — biólogos, pedagogos, educadores ambientais — realizará palestras nas unidades escolhidas pela Secretaria de Educação. "Serão oito tanques de 60 metros quadrados que produzirão, ao todo, 3 mil hortaliças por mês e 700 quilos de peixe a cada dois meses", afirma.

Coleta de óleo em Barra Mansa

Em Barra Mansa, o projeto Ecoóleo, desenvolvido pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável está sendo ampliado. Nesta semana, 12 das 72 escolas da rede municipal de ensino estão recebendo as bombonas, recipientes para a coleta do óleo vegetal usado. 

"A entrega das bombonas vem acompanhada de questões específicas que envolvem a educação ambiental, como o descarte correto do óleo de cozinha usado, os danos que o produto pode causar quando despejado nos ralo e pia da cozinha ou diretamente no solo, além do beneficiamento do produto pela indústria de biodiesel", detalhou o secretário Carlos Roberto de Carvalho.

Atualmente, são coletados, em média, mil litros de óleo usado por mês. O produto é entregue no depósito do Ecoóleo localizado na Avenida Três de Outubro, 560, no bairro Jardim Boa Vista, ou na própria secretaria, que funciona no Centro Administrativo. A intenção da prefeitura é ampliar a coleta e chegar a 50 litros de óleo usado em cada unidade escolar, a cada 15 dias.

*Estagiário sob supervisão de Antero Gomes

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários