Arma do capitão Galvão foi encontrada no Complexo do Lins - Divulgação / Polícia Militar
Arma do capitão Galvão foi encontrada no Complexo do LinsDivulgação / Polícia Militar
Por O Dia

Rio - Policiais militares da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) recuperaram, nesta quinta-feira, a arma levada durante a morte do PM Anderson Azevedo Galvão, de 35 anos. O capitão foi assassinado no dia 23 de abril, em uma barbearia em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. A arma foi encontrada no Complexo do Lins, na Zona Norte.

De acordo com a PM, a superintendência de inteligência e análise da CPP recebeu a informação de que bandidos do Complexo do Lins teriam participado da morte do policial. Diante disso, agentes do Grupamento Tático de Polícia Pacificadora (GTPP) da UPP Lins fizeram uma operação na comunidade Cachoeira Grande, onde encontraram a pistola do capitão, uma PT 840, calibre .40, com carregador.

Decretada prisão de acusados de matar oficial da PM

Durante a ação, houve confronto com criminosos da comunidade, dentre eles Vitor Luan da Silva Lopes, de 19 anos, e um menor de 16. Eles foram presos em flagrante, o menor por atos infracionais análogos aos crimes de associação para o tráfico de drogas, tentativa de homicídio qualificado e resistência e Vitor por associação para o tráfico de drogas e por corrupção de menores.

Ainda segundo a PM, Vitor já havia sido preso em 11 de novembro do ano passado, após cumprimento de mandado de prisão por porte ilegal de arma de fogo. Ele também possui uma anotação criminal por roubo, praticado em 2019.

Você pode gostar
Comentários