Tamires mora na Glória e sumiu quando disse que iria para Sepetiba - Arquivo Pessoal
Tamires mora na Glória e sumiu quando disse que iria para SepetibaArquivo Pessoal
Por RAI AQUINO
Rio - Familiares da vendedora Tamires Leite da Silva, de 21 anos, procuram pela jovem que desapareceu há exatamente um mês, no dia 13 de abril. Tamires morava com uma amiga na Glória, na Zona Sul do Rio, e foi vista pela última vez quando disse que iria para a casa de uma pessoa em Sepetiba, na Zona Oeste.
"Essa amiga diz que a Tamires apareceu na casa dela no dia 13 (de abril), dizendo que ia para a casa de uma mulher que  conheceu, que ninguém sabe quem é, em Sepetiba. Mas ninguém sabe da existência dessa mulher", conta a estudante Marianna Lobo Costa, que também tem 21 anos, e é prima de Tamires.
Publicidade
Órfão de pai e mãe, apesar de morar com a amiga na Glória, Tamires chegava a dormir na rua, segundo a prima. A vendedora foi criada pela madrinha, em Botafogo, mas desde agosto do ano passado decidiu sair de casa.
"Às vezes ela sumia, mas nunca ficava sem mandar mensagem. Ela estava sem celular, mas sempre entrava em contato com alguém para dizer por onde estava", conta a prima.
Família recebeu vídeo de uma pessoa dormindo no Museu do Catete que poderia ser a vendedora - Arquivo Pessoal
Publicidade
Desde o desaparecimento, Marianna lembra que só teve uma suspeita do paradeiro da prima sete dias depois de seu desaparecimento. Chegou às mãos da família um vídeo onde uma pessoa que seria Tamires aparece dormindo nos jardins do Museu do Catete.
"Falamos com um segurança, falaram que viram essa moça, mas não tem como confirmar que é ela. A cor da mochila parece. A gente tem uma foto apenas, mas não temos certeza absoluta de que é ela", afirma Marianna, contando que a prima estava com uma mochila, saia e camisa pretas quando sumiu.
Publicidade
Além de fazer um registro na Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), os familiares da vendedora se revezam com amigos por buscas por lugares frequentados por Tamires, como a Lapa, Centro e Zona Sul. Eles acreditam que ela tenha passado por algum surto psicológico.
O Disque Denúncia divulgou, nesta segunda-feira, um cartaz para ajudar na localização da vendedora.
Vendedora desapareceu no dia 13 de abril - asouza