Valéria Cristina Pereira - Divulgação
Valéria Cristina PereiraDivulgação
Por RAFAEL NASCIMENTO
Rio - Um miliciano, segundo a Polícia Civil, foi preso na manhã desta segunda-feira acusado de matar uma mulher em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, em outubro de 2018. O crime aconteceu após a vítima tentar defender irmã durante uma briga de família.
Matheus Vinicius Costa da Silva, de 20 anos, que comandaria um grupo paramilitar no bairro Pantanal, é acusado de matar Valéria Cristina Pereira. Segundo os investigadores, a vítima que morava em Copacabana, na Zona Sul do Rio, foi ao município visitar parentes.
Publicidade
Em determinado momento, houve uma confusão e o miliciano e um outro homem, identificado como Samuel da Silva Nunes, foram ao local para “resolver a situação”, ainda segundo a polícia.  Lá, Valéria teria dito aos homens que aquilo “era uma briga de família e que eles não deveriam se meter”.
Matheus Vinicius Costa da Silva - Divulgação / Polícia Civil
Publicidade
Neste momento, Matheus sacou uma pistola e atirou no rosto da mulher, que morreu na frente de diversos familiares. Após assassinarem a mulher, os homens fugiram.
De acordo com a Polícia Civil, a Justiça decretou também a prisão preventiva de Samuel da Silva Nunes, que já é considerado foragido.
Publicidade
Matheus foi levado à DHBF, prestou depoimento e foi encaminhado para o Complexo de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio. Se condenado, Matheus poderá ficar até 30 anos preso.
Operação para prender autores de feminicídios
Publicidade
Ainda nesta manhã, agentes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foram às ruas para cumprirem seis mandados de prisão contra acusados de cometerem feminicídios entre os anos de 2017 e 2019, em quatro municípios da Baixada.
Na ocasião, só Matheus foi preso.
Publicidade
Ao DIA, o delegado Antônio Ricardo Nunes, chefe do Departamento Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa (DGHPP), afirmou que determinou que todas as Delegacias de Homicídios deem prioridade nos casos de feminicídios.
“Estamos com um índice muito grande de resolução de feminicídios (no estado). Ou seja, matar mulher não é um bom negócio. Seja os autores companheiros, maridos, traficantes, milicianos. Qualquer tipo de feminicída terá problemas com a Justiça”, garantiu Nunes. 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
Matheus foi levado à DHBF, prestou depoimento e foi encaminhado para o Complexo de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio. Se condenado, Matheus poderá ficar até 30 anos preso.
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
Operação para prender autores de feminicídios
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
Ainda nesta manhã, agentes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foram às ruas para cumprirem seis mandados de prisão contra acusados de cometerem feminicídios entre os anos de 2017 e 2019, em quatro municípios da Baixada.
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
Na ocasião, só Matheus foi preso.