Amarildo: pedreiro foi visto com policiais da UPP antes de desaparecer - Reprodução
Amarildo: pedreiro foi visto com policiais da UPP antes de desaparecerReprodução
Por O Dia
Rio - A Justiça do Rio negou o pedido feito por um dos policiais militares acusados de envolvimento no desaparecimento do pedreiro Amarildo Dias de Souza, morador da Rocinha, para retornar à corporação. 
A informação foi divulgada nesta segunda-feira, pela Procuradoria Geral do Estado (PGE-RJ), que atuou contra o pedido feito pelo ex-servidor. O policial Wellington Tavares da Silva foi demitido após conclusão de um processo administrativo disciplinar conduzido pela própria corporação, em fevereiro de 2016.
Publicidade
Segundo a PGE, a sentença judicial confirmou que não havia irregularidade no processo, mantendo o agente fora da corporação.
O pedreiro desapareceu em julho de 2013 na Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Na ocasião, ocorreram diversas manifestações que questionavam a Polícia Militar sobre o que tinha acontecido com pedreiro. Até hoje, o corpo dele nunca foi encontrado.
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade
 
 
Publicidade