Cremerj interdita dois hospitais em São Gonçalo e um na Região dos Lagos

Segundo os fiscais, faltam equipamentos e recursos humanos nas três unidades vistoriadas

Por RENAN SCHUINDT

Hospital Municipal Luiz Palmier foi um dos interditados pela Cremerj nesta quinta-feira
Hospital Municipal Luiz Palmier foi um dos interditados pela Cremerj nesta quinta-feira -
Rio - Três importantes unidades de saúde foram interditadas pelo Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio (Cremerj). Em São Gonçalo, na Região Metropolitana, o órgão fechou o Hospital Doutor Luiz Palmier e a Unidade Familiar Santa Luzia. Já em Cabo Frio, na Região dos Lagos, o Hospital Municipal da Mulher está com o atendimento interrompido. Segundo os fiscais, faltam equipamentos e recursos humanos em toda as unidades. Atualmente, cerca de 290 hospitais são vistoriados por ano pelo Cremerj. A meta é chegar a 600 em 2019.
"É uma medida extrema, que foi decidida com muita tristeza. Os casos encontrados são graves. Estivemos por diversas vezes nessas unidades e nada foi feito para a melhoria", disse o presidente do Cremerj, Sylvio Provenzano.
Segundo o Conselho, todos os relatórios elaborados durantes as visitas foram encaminhados ao Ministério Público e a Defensoria Pública para que sejam tomadas providências.
Ainda segundo os fiscais, a situação do Hospital da Mulher é a mais grave. Somente este ano, a unidade já contabilizou 16 óbitos de bebês, sendo 10 apenas em janeiro. No ano passado, nos seis primeiros meses, foram 29 mortes.
"Estamos investigando a fundo as causas dessas mortes. É um número desproporcional. Incomum em qualquer unidade de saúde. É melhor fechar e assim evitar novas mortes", disse o corregedor do Cremerj, Luís Guilherme Teixeira dos Santos.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários