Operação em penitenciária apreende mini celular, drogas e dinheiro

Cerca de 200 agentes participam da Operação Asfixia

Por O Dia

Mini aparelho celular em comparação com uma tampa de caneta
Mini aparelho celular em comparação com uma tampa de caneta -
Rio -  Um minicelular, do tamanho de uma tampa de caneta, foi encontrado na manhã desta segunda-feira, durante uma revista na Penitenciária Milton Dias Moreira, em Japeri, na Baixada Fluminense. A ação faz parte da "Operação Asfixia" que tem o objetivo de coibir a entrada de materiais ilegais dentro dos presídios.
Além do mini aparelho, 89 celulares, um roteador, seis chips, 90g de cocaína, 715g de maconha, oito relógios e R$ 1.567 também foram encontradas. Segundo a Secretaria de Estado de Administração e Execução Penal (Seap), entre janeiro e junho deste ano, 5.339 celulares foram encontrados nas unidades prisionais. Em 2018, o mesmo período registrou 3.756 aparelhos apreendidos.
 

Galeria de Fotos

Material Apreendido na ação desta segunda-feira Divulgação / SEAP
Material apreendido na ação desta segunda-feira Divulgação / SEAP
Mini aparelho celular em comparação com uma tampa de caneta Divulgação / SEAP
A ação é realizada pela Seap em conjunto com a 3ª Promotoria de Justiça de Execução Penal (MPRJ) e conta com cerca de 200 inspetores penitenciários. A Pasta informou que desde o início do ano, duas atuações importantes foram implantadas. Uma delas, a operação “Iscariotes”, já flagrou dez inspetores penitenciários tentando entrar com objetos não permitidos nas cadeias. Segundo a Secretaria, todos os casos estão sendo apurados pela Corregedoria e podem ter a pena máxima de demissão.
A segunda operação foi batizada de “Bloqueio” e tem o objetivo de impedir que visitantes de presos burlem as regras de segurança. Ao todo, 16 pessoas foram presas tentando entrar com drogas e celulares em cadeias.  A Secretaria destacou que utiliza alta tecnologia para auxiliar as ações, com o uso de três drones, que servem como apoio à fiscalização das unidades prisionais. ajudando na vigilância e segurança do perímetro prisional. Além disso, novos portais, aparelhos de scanners, câmeras de monitoramento e bloqueadores de sinal de aparelhos telefônicos, estão sendo adquiridos.

As ações são realizadas pelo próprio corpo funcional da Seap.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários