Cristiano foi condenado por júri popular em 2013 - Divulgação / Polícia Civil
Cristiano foi condenado por júri popular em 2013Divulgação / Polícia Civil
Por RAFAEL NASCIMENTO
Rio - Agentes da 64ª DP (São João de Meriti) prenderam, nesta quarta-feira, o criminoso Cristiano dos Santos Vacal, conhecido como Carioca. Ele foi condenado em fevereiro de 2013 por invadir um hospital do município de Itaúna, em Minas Gerais, para assassinar o rival, Anderson Nunes da Silva, o Periguete. Na ocasião, o traficante e outros quatro comparsas renderam pacientes e enfermeiras que estavam na unidade.
De acordo com a Justiça, Cristiano é de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, mas atuava como chefe do tráfico de drogas no município do estado de Minas. Segundo as investigações, a primeira tentativa de assassinato contra o rival aconteceu na Rua Jair Ferreira Soares, no Bairro Morada Nova. O criminoso teria sido torturado pelo bando de Carioca, porém ele foi encontrado e socorrido para a Casa de Caridade, onde passou por uma cirurgia.
Publicidade
Ainda de acordo com as investigações, ao tomarem conhecimento sobre o socorro, o grupo liderado por Cristiano se reuniu novamente para invadir o Hospital Manoel Gonçalves e assassinar Anderson. Na ação, duas enfermeiras foram rendidas e ameaçadas. Os criminosos foram até o quarto em que o rival de Carioca estava internado e atiraram contra ele e seu irmão Edson, que o acompanhava. 
O delegado Vinícius Domingos, titular da 64ª DP (São João de Meriti) afirmou que a prisão foi feita com base em cruzamento de dados: "Já há muito tempo ele vive no interior de Minas Gerais e lá ele é considerado um dos líderes do tráfico de drogas da cidade de Itaúna. O crime ocorreu por uma disputa pelo controle da região. Foi um caso de grande repercussão por conta da ousadia dos criminosos ao renderem profissionais e entrarem em um hospital assim, em uma cidade pequena", conta.
Publicidade
Cristiano já havia sido preso em 2013 por agentes da própria 64ª DP (São João de Meriti), mas estava foragido do sistema prisional. Segundo o delegado Vinícius Domingos, ele foi preso ao visitar a família na Baixada Fluminense.