Disque Denúncia já recebeu duas ligações sobre morte de jornalista em Maricá

Romário da Silva Barros, de 31 anos, foi morto na última terça-feira

Por O Dia

Romário foi morto na noite desta terça
Romário foi morto na noite desta terça -
Rio - O Disque Denúncia já recebeu, até a noite de quarta-feira, duas ligações com informações sobre a morte de Romário da Silva Barros. O jornalista de 31 anos era fundador do site Lei Seca Maricá (LSM) e foi morto no final da noite de terça, no município da Região Metropolitana do Rio.
Além das duas ligações sobre a morte de Romário, o Disque Denúncia recebeu cinco chamadas sobre a morte do também jornalista Robson Giorno, que era dono do "Jornal Maricá" e foi assassinado perto de casa, no dia 25 de maio.  
Quem tiver informações sobre os envolvidos na morte dos jornalistas pode denunciar pelo aplicativo de celular Disque Denúncia RJ ou pela mesa de atendimento do Disque-Denúncia, no número (21) 2253-1177. O anonimato é garantido.
Crime Político 
Romário foi morto na noite de terça-feira com pelo menos três tiros, após praticar exercícios físicos no bairro Araçatiba. O corpo do jornalista foi encontrado na Rua Álvares de Castro, no município da Região Metropolitana do estado. A investigação ainda não descarta que o crime possa ter motivação política.
A Polícia Civil trabalha com a hipótese de a morte do jornalista ter sido uma execução e de que o crime foi encomendado. A perícia feita no local constatou que os tiros disparados contra Romário se concentraram em duas regiões do corpo dele: foram dois tiros no lado esquerdo da cabeça e um no pescoço.
"Já temos imagens de câmeras de segurança e sabemos que foram dois executores. Fizemos perícia no local e estamos ouvindo os familiares da vítima", conta o chefe do Departamento Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa (DGHPP), o delegado Antônio Ricardo Nunes.
O site do jornalista denunciava a política da cidade. O corpo de Romário foi enterrado no final da tarde no Cemitério Municipal da cidade. A Câmara Municipal da cidade decretou luto de três dias.

Comentários