Candidatas do Miss Plus Size 2018 - Divulgação
Candidatas do Miss Plus Size 2018Divulgação
Por *Felipe Rebouças
Rio - O tradicional evento Miss Plus Size Rio de Janeiro que ocorre nesta terça-feira, às 18h, no Teatro João Caetano, na Praça Tiradentes, no Centro do Rio, busca a inclusão como forma de realização pessoal e engajamento. São 34 participantes, com manequim a partir de 44, que concorrem à coroa, além do prêmio de R$ 4 mil, curso de modelo e manequim e ensaio fotográfico. Para o idealizador do concurso, Eduardo Araúju, há dez anos à frente do Miss Plus Size Rio, a competição é uma forma de incluir pessoas que a sociedade segrega todos os dias. "As pessoas só precisam de oportunidade para se sentirem vivas e realizadas", afirma o maquiador.

No sentido da inclusão, as participantes se reuniram na semana passada para se conhecerem e contar suas histórias pessoais. A maquiadora Melissa Pazos, de 39 anos, que contraiu lúpus e está realizando um tratamento com corticoide, fez um depoimento a todas as mulheres que são chamadas pejorativamente de gordas:

"Fui proibida de ir à praia por restrição médica. Eu vi quão absurdo foi eu ter deixado de ir à praia por causa do meu corpo, e agora não posso mais por problema de saúde. Não deixem de fazer nada por causa de estética, porque hoje eu não posso fazer o que eu quero por questão de saúde, e tudo que eu queria era pisar na areia. Não deixem de fazer o que vocês querem fazer porque acham que não estão adequadas, porque vocês são pessoas maravilhosas, não deixem que ninguém diga o contrário"

Além dela, outras candidatas relataram falta de apoio em casa, comentários humilhantes de parceiros e até recusas de contratação em virtude da condição estética. "Fui entrevistada, como todo mundo, mas quando coloquei o meu tamanho de roupa na ficha ela (a contratante) disse que eu não me enquadrava: 'muito obrigado, pode se retirar da sala", relata a assistente administrativa Fernanda Dias, de 25 anos.

Pela larga experiência em desfiles de beleza e moda de todos os tipos, Araúju diz que as modelos, ditas tradicionais, não têm a mesma paixão que as candidatas plus size apresentam. "A diferença é que elas vem muito mais a fim de dar certo do que as modelos tradicionais. Elas vem com muito mais gás, muita força de vontade. É isso que me impulsiona a fazer o desfile há dez anos", comenta.
*Estagiário sob supervisão de Thiago Antunes