Prefeitura suspende demolição na Muzema

Empresa será contratada para avaliar se realmente há risco de desabamento

Por O Dia

Prefeitura volta atrás um dia após notificar moradores do condomínio Figueiras do Itanhangá
Prefeitura volta atrás um dia após notificar moradores do condomínio Figueiras do Itanhangá -
A Prefeitura do Rio vai contratar uma empresa, via carta-convite, para avaliar se os seis prédios do condomínio Figueiras do Itanhangá, na Muzema, serão demolidos. A informação foi confirmada ao DIA pelo secretário Sebastião Bruno, titular da pasta de Infraestrutura e Habitação. A decisão foi tomada após uma reunião com os moradores, que um dia antes haviam recebido uma notificação sobre a demolição do conjunto de prédios. Em abril, 24 pessoas morreram na região após o desabamento de dois prédios.
A Geo-Rio já havia atestado que o solo dos prédios é instável. No entanto, os moradores alegam que um laudo particular atesta a estabilidade. “Nós vamos fazer uma avaliação mais detalhada. Enquanto isso, os moradores não vão ocupar os imóveis, vão sair aos poucos”, disse o secretário.
Caso algum prédio venha a ser demolido, ficou acordado com os moradores que a prefeitura publicará um decreto autorizando o pagamento de auxílio habitacional, por até um ano, com valor a ser estudado. Esse montante deve girar em torno de R$ 800 e está sendo analisado se as famílias que já perderam as casas terão acesso ao auxílio.
Interdição no Anil
A prefeitura interditou, ontem, um edifício de quatro andares construído de forma irregular na quadra 8 da Rua Silveira Filho, no Anil, na Zona Oeste do Rio. A vistoria técnica ocorreu após denúncia anônima feita na última sexta-feira, de que o prédio seria clandestino e pertencente a milicianos. A demolição está em análise pela Secretaria Municipal de Urbansimo.
Os engenheiros da Defesa Civil municipal avaliaram que o imóvel possuía erros na construção que podem comprometer a estrutura no futuro, uma vez que foi erguida sem o devido acompanhamento técnico. Apesar disso, o colapso da construção não é iminente.
Somente este ano a Secretaria Municipal de Urbanismo aplicou quase mil multas a responsáveis por construções irregulares na região que engloba Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Recreio dos Bandeirantes e Vargens Pequena e Grande.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários