Polícia Civil investiga desvio milionário da saúde em Arraial do Cabo

Cerca de R$2,5 foram retirados dos cofres públicos para pagamentos de exames que não teriam sido realizados

Por O Dia

Agentes foram à Câmara Municipal para fazer buscas no gabinete de um vereador envolvido no caso
Agentes foram à Câmara Municipal para fazer buscas no gabinete de um vereador envolvido no caso -
Rio - Uma equipe da 132ª DP (Arraial do Cabo) deflagrou nesta quinta-feira, a operação Saúde S/A, que investiga uma organização criminosa que atua em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos. A polícia investiga se um laboratório de análises clínicas recebeu R$2,5 milhões durante os anos de 2014 e 2016 para realizar exames na cidade. Os valores foram repassados, mas as comprovações da prestação de serviço nunca foram apresentadas.
Segundo o delegado titular da unidade, Renato Mariano, o laboratório Vital Brasil foi contratado pela Prefeitura de Arraial do Cabo, por meio da Secretaria Municipal de Saúde. Na ação de hoje, nove mandados de busca e apreensão foram cumpridos. O vereador Spencer Cardoso dos Santos, antigo secretário de saúde teve o gabinete revistado pela equipe: "Fomos à sede do laboratório, aqui em Cabo Frio, no gabinete e na residência de um vereador da cidade, que na época dos fatos era o secretário de saúde, na sede da secretaria de saúde e na casa dos responsáveis pelo laboratório', explica. 
Questionada sobre o caso, a Prefeitura de Arraial do Cabo informou, por meio da Secretaria de Saúde, que confirma a realização da operação para investigar possível conduta ilegal envolvendo a prestação de serviços de um laboratório no período citado e que não possui mais convênio com o município. O município destacou ainda que o secretário de saúde investigado, Sppencer Cardoso, não integra nenhuma pasta do município e atualmente é vereador na cidade. Além disso, disse que a Secretaria se coloca a disposição para qualquer esclarecimento e está colaborando com a investigação. 
A Câmara Municipal de Arraial do Cabo confirmou que recebeu o mandado de busca e apreensão expedido pela Vara Única do município acerca do vereador, Sppencer Cardoso (MDB). A ação foi realizada pela Polícia Civil e foi acompanhada pelo procurador da Câmara, conforme exigências da ocasião.
De acordo com a assessoria do vereador, as buscas de documentos são referentes a um processo da época em que o mesmo exerceu o cargo de Secretário de Saúde, no período de 29 de agosto de 2014 a 30 de março de 2016. Sppencer Cardoso não estava presente no momento, mas disse que irá se pronunciar após a conclusão das investigações.
Documentos e computadores foram apreendidos pela equipe e o material será analisados. As apurações seguem sendo realizadas para a finalização da investigação.

Comentários