Paciente que desapareceu de hospital é encontrado morto em necrotério

Sobrinha do pintor reconheceu o corpo no necrotério da unidade

Por O Dia

Jorge Nascimento de Oliveira estava com tuberculose e foi visto pela última vez no hospital
Jorge Nascimento de Oliveira estava com tuberculose e foi visto pela última vez no hospital -
Rio - O corpo do pintor Jorge Nascimento de Oliveira, de 46 anos, foi encontrado na necrotério do hospital da Posse, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele estava internado na unidade e desapareceu no último dia 5. A informação foi confirmada pela sobrinha de Jorge, Andreza Oliveira, que após ser informada de que o corpo estaria no necrotério, pediu para ir ao local reconhecê-lo. 
O pintor foi internado em uma área de isolamento no último dia primeiro, com um quadro de tuberculose. Segundo parentes, o hospital narrou que na madrugada do dia 4 para o dia 5, por volta das 3h, Jorge saiu à revelia da unidade de saúde. Entretanto, o homem saiu sem assinar nenhum documento. Ainda de acordo com os familiares, o diretor do Hospital da Posse teria dito que no prontuário de Jorge havia a notificação de que ele já havia tentado retirar os acessos venosos por duas vezes.

Ao saber do desaparecimento no dia 6, quando chegaram para a visita, a família do paciente chegou a procurar a 58ª DP, mas, segundo a mesma, foram informados por agentes que deveriam primeiro fazer uma queixa na Secretaria Municipal de Saúde. No entanto, como já era noite de sexta-feira, os parentes só conseguiram ir na secretaria na última segunda (9). A Secretaria Municipal de Saúde de Nova Iguaçu esclareceu que o paciente deixou o Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) por conta própria no último dia 3 de setembro. Em nota, a assessoria ainda explicou que qualquer paciente adulto que não tenha limitação é orientado a continuar o tratamento, mas tem o livre arbítrio de deixar a unidade hospitalar sem precisar assinar termo de alta à revelia.
A secretaria informou ainda que o Hospital da Posse solicitou a empresa responsável pelo circuito interno de monitoramento do hospital as imagens e disponibilizou um carro para a família do paciente para ajudar a localizá-lo. Assistentes sociais da unidade estão acompanhando o caso e realizando contatos com outras unidades de saúde.
 

Comentários