Apontado como chefe do tráfico no Cavalão é preso na praia enquanto tomava água de coco

Banho de sol de Henrique Pereira Bezerra, o Beiça, foi interrompido por agentes da Polícia Civil

Por O Dia

Henrique Bezerra, o Beiça: havia dois mandados de prisão contra ele
Henrique Bezerra, o Beiça: havia dois mandados de prisão contra ele -
Rio - O chefe do tráfico do morro do Cavalão, em Niterói, aproveitou o forte calor para ir à praia. Agora, ele irá tomar banho de sol na cadeia. Policiais da 77ª DP (Icaraí) prenderam Henrique Pereira Bezerra, conhecido como Beiça, na areia da praia de Piratininga. O traficante estava com roupa de banho, bebendo água de coco. Os agentes chegaram até o criminoso, foragido da Justiça há seis anos, após uma denúncia anônima.

Galeria de Fotos

O momento da prisão: sem camisa e só com uma bermuda na praia Divulgação
Henrique Bezerra, o Beiça: havia dois mandados de prisão contra ele Divulgação


Contra o criminoso havia dois mandados de prisão, um pela Vara de Execuções Penais e outro pela prática dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Segundo as investigações, Beiça retornou ao morro no ano passado e assumiu posição de destaque no tráfico de drogas da comunidade. Entretanto, foi após a prisão do traficante Anderson França, conhecido como Goelão, ocorrida em janeiro, que ele assumiu o controle da comunidade. Ainda segundo as investigações, Beiça era subordinado ao traficante Reinaldo Ignácio, o Kadá, detido em um presídio federal, desde 2009, quando foi preso.

Já Kadá faz parte de uma família que controla o tráfico no Cavalão desde a década de 1990, segundo o Ministério Público estadual. Nessa época, o tráfico era liderado pelo traficante Robson Medeiros Ignácio, conhecido como Robinho, que foi morto em confronto com policiais civis em 1995. Kadá era
irmão de Robson e comanda o Cavalão desde essa época.

O tráfico de drogas no Cavalão é um ponto estratégico, pois está localizado em um bairro de classe média alta e tem fácil acesso a outras áreas de Niterói. Beiça foi encaminhado para a carceragem da delegacia e, até a noite de ontem, aguardava transferência. A delegacia da região solicita que a população repasse informações sobre os criminosos para o telefone (21) 96722-8152.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários