Ministério Flordelis mantém vigília para o dia da reconstituição da morte de Anderson do Carmo

Os irmãos Flavio Rodrigues e Lucas dos Santos, réus no caso, também vão participar da reprodução. Os dois passam a noite na carceragem da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí

Por Anderson Justino

Em São Gonçalo, um outdoor do Ministério de Fordelis exibe foto do pastor Anderson e da deputada
Em São Gonçalo, um outdoor do Ministério de Fordelis exibe foto do pastor Anderson e da deputada -
Rio - O Ministério Flordelis manteve para este sábado, data marcada pela Polícia Civil para a reprodução simulada do assassinato do pastor Anderson do Carmo, a vigila que terá a presença da deputada federal Flordelis dos Santos (PSD-RJ), viúva do líder religioso. Os dois filhos da parlamentar, presos pela morte do pai vão passar a noite na carceragem da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI). Os irmãos Flavio Rodrigues e Lucas e Lucas Cézar dos Santos são réus no caso e foram intimados a participar do processo de reconstituição.

A reprodução da morte do pastor está marcada para começar às 21h. A Polícia Civil não informou o tempo em que será feita a reconstituição, mas há possibilidade que se estenda pela madrugada. Além dos dois irmãos, Flordelis e alguns de seus filhos e netos que estavam na casa no dia do crime também foram intimados e devem participar. 

Na quarta-feira a Polícia Civil e o Ministério Público estadual (MP-RJ) apreenderam celulares, computadores e documentos em endereços ligados à Flordelis. Segundo a DH a ação faz parte da segunda fase das investigações.

Na primeira fase do inquérito a justiça indicou os dois irmãos pelo assassinato do pastor. Ambos estão presos na mesma cela em Bangu 9, no Complexo de Gerícinó, na Zona Oeste do Rio.

Flavio, filho biológico de Flordelis, é acusado de matar o padrasto. Em depoimento, ele confessou ter atirado seis vezes contra o pastor. A arma do crime foi encontrada pela DH em cima de um guarda roupa dentro do quarto usado por ele. A defesa contesta e diz que o primeiro depoimento prestado por ela não tem valor.

Já Lucas, filho adotivo do casal, é apontado como o responsável pela negociação da compra da arma usada no crime, uma pistola Bersa calibre nove milímetros. Ele revelou à polícia uma trama, por parte de alguns familiares, para matar Anderson do Carmo.

Depoimentos prestados na sede da DH revelam que a trama para dar fim a vida do líder religioso começou no ano passado. Duas filhas, uma biológica e outra adotiva, de Flordelis, são acusadas pelos familiares de tentar envenenar Anderson do Carmo.

O vereador, por São Gonçalo, Wagner Pimenta, conhecido como Misael, disse à polícia que mãe adotiva era a mentora do crime.

Anderson do Carmo foi morto na madrugada do dia 16 de junho na garagem de casa, na Rua Márcia Fernandes de Azevedo, em Pendotiba, Niterói, na Região Metropolitana. A assessoria da deputada informou que a presença de Flordelis na vigília não está confirmada. 
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários