MPF denuncia Sérgio Cabral pela 30ª vez

Força-tarefa da Lava Jato acusa ex-governador por sonegação fiscal de mais de R$ 10 milhões

Por O Dia

Sérgio Cabral
Sérgio Cabral -
Rio - O Ministério Público Federal (MPF) denunciou, pela 30ª vez, o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. Desta vez, por prestar informações falsas às autoridades fazendárias referente a pagamento do Imposto de Renda relativo aos anos calendários de 2013, 2014 e 2015, no valor total consolidado de R$ 10.402.040,91. 
Os trabalhos de auditoria foram iniciados após as diversas ações ajuizadas na operação Lava Jato, que indicou a ocultação de patrimônio realizada por Cabral. De acordo com a denúncia, a evolução patrimonial do ex-governador era desproporcional ao informado em suas declarações de Imposto de Renda.
O MPF destaca que, por um longo período, ele recebeu considerável montante de dinheiro ilícito, em espécie, advindo de diversas fontes da sua atuação criminosa, tendo ocultado parte deste dinheiro, aproximadamente 80 milhões de dólares no exterior.

Segundo o órgão, Cabral dissimulava a aquisição dos seus bens mediante diversos atos de lavagem de dinheiro, como a aquisição de joias de altíssimo valor, roupas, embarcação, custeio de aluguéis e funcionários, blindagem de veículos, fretamento de helicópteros e viagens internacionais.

Operação Calicute

A partir da operação Calicute, foi confirmada a existência de uma organização criminosa estruturada no governo do estado durante a gestão de Cabral, corroborada por elementos trazidos na colaboração premiada firmada por executivos da Odebrecht no Supremo Tribunal Federal foram cotejados com os acordos de colaboração e leniência das empreiteiras Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia, além de doleiros que operavam para Cabral.

De acordo com o MPF, após assumir o governo em 2007, houve a cartelização de empreiteiras para a construção de grandes obras de construção civil a cargo do Estado. Nos esquemas, foram englobadas praticamente todas as grandes obras públicas de construção civil realizadas pelo ente público, algumas delas custeadas com recursos federais, inclusive provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento. Dentre elas, destacam-se a construção do Arco Metropolitano1 , a urbanização de grandes comunidades carentes na cidade do Rio de Janeiro, ação vulgarmente denominada por “PAC Favelas”2 e as obras da Linha 4, aponta o órgão federal. 


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários