Família roubada por falsas videntes faz vaquinha

Polícia já identificou três mulheres da quadrilha, que estão respondendo por estelionato. Idosa foi roubada em R$ 400 mil

Por Bruna Fantti

No site da vaquinha, família que foi roubada exibe parte do anúncio publicado pelas falsas videntes
No site da vaquinha, família que foi roubada exibe parte do anúncio publicado pelas falsas videntes -

Rio - Uma família tenta recuperar parte dos R$ 400 mil que perdeu para mulheres que se identificavam como videntes, na Tijuca, através de uma vaquinha online. O pedido de ajuda foi feito por um dos filhos da mulher de 60 anos, que alega ter sido induzida pelas falsárias a dar o dinheiro. "O atendimento espiritual passou para coação. Elas falavam que se ela não fizesse a transferência, algo ruim iria acontecer", afirmou um dos filhos, que pediu anonimato.

Conforme O DIA revelou na semana passada, Merian Petrovich, Maria Cristina Nascimento e Inaiara Lúcia Gonçalves passaram a responder na Justiça por estelionato e associação criminosa. Elas podem pegar até 10 anos de prisão, caso sejam condenadas pelos crimes de ludibriar as vítimas com supostos poderes mediúnicos, em troca das suas economias.

Segundo o filho da idosa, responsável por pedir a ajuda financeira online, a família passa por dificuldades. "Meu pai passa por sérios problemas de pressão após ter descoberto tudo". Ainda segundo o rapaz, a situação piorou após o pai ficar desempregado. "Fomos morar na casa de uma irmã. O dinheiro representava toda a economia deles", afirmou.

Gravações

A família ainda tentou recuperar a quantia perdida antes de registrar o caso na 19ª DP (Tijuca). Gravações mostram que as videntes sabiam da situação precária que restou à idosa.

"Sei que ela está na pior, com a conta zerada. Por isso, estou oferecendo dar R$ 3 mil por mês para evitar isso (procurar a polícia). Senão, a gente vai para o pau mesmo e torce para resolver na Justiça", disse uma das denunciadas, em áudio ao qual O DIA teve acesso.

"Elas tiraram até a última quantia que meu pai tinha no banco. Mais de 30 anos juntando para, agora, na aposentadoria, comprar uma casinha. No momento da compra de um apartamento, tudo certo para dar o sinal como entrada, não tinha nada", escreveu o filho, no pedido de ajuda financeira online.

Golpe até em funcionárias

Policiais da 19ª DP (Tijuca) continuam as investigações sobre outras possíveis vítimas das videntes, que atendiam na Rua Pereira Nunes. O Centro foi fechado após a denúncia à Justiça.
 
De acordo com boletins de ocorrência, as denunciadas também aplicavam outros tipos de golpes. Em um deles, não pagaram o condomínio e os prejuízos feitos em um apartamento que alugaram em Jacarepaguá, na Zona Oeste. "Elas realizavam atendimentos no local. Quando descobri, pedi o apartamento de volta. Ja havia até multa do condomínio", afirmou o dono do imóvel.
 
Segundo o proprietário, as mulheres levaram móveis do apartamento. O processo se encontra na Justiça.
Em outro caso, também com registro de ocorrência realizado na polícia, consta uma denúncia trabalhista: a falta de pagamento a mulheres que foram contratadas para distribuir panfletos para os supostos atendimentos espirituais.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários