Militar reformado da Aeronáutica é detido ao dirigir armado

Duas armas foram apreendidas, além de carregadores, cartuchos e mais de R$100 mil em espécie

Por O Dia

Material apreendido
Material apreendido -
Rio - Policiais militares abordaram um militar reformado da aeronáutica, na noite desta sexta-feira, na Ponte Rio-Niterói, na Praça do Pedágio, enquanto seguiam para Niterói. Segundo os agentes, o homem estava aparentemente embriagado. Ele dirigia um veículo modelo Mercedes Benz, de maneira perigosa e com uma arma na mão.
Segundo a PM, dois agentes do 31ºBPM (Recreio dos Bandeirantes) voltavam para a casa quando viram um homem dirigindo de maneira imprudente. Os policiais alertaram o motorista sobre a condução perigosa quando o trânsito parou, por conta do grande fluxo de veículos. Segundo a ocorrência, o militar no outro carro, xingou os PMs e continuou seguindo sentido Niterói.
Um pouco mais à frente o trânsito parou novamente e os policiais observaram o acusado com uma pistola na mão que segurava o volante, e resolveram aguardar a Praça do Pedágio para fazer a abordagem. Durante a ação, o acusado apresentava sinais de embriaguez e ficou alterado. Segundo a corporação, foi necessário contê-lo.
Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foram acionados por funcionários da Ponte. Uma revista foi realizada no veículo e duas armas foram encontradas, uma pistola cal 9mm, com três carregadores e 33 cartuchos intactos e um revólver Rossi, cal 38, com 5 cartuchos intactos.
Além do armamento, também foi encontrada a quantia de R$ 144.500,00 em espécie. A ocorrência foi conduzida para a 76ª DP (Centro/Niterói), onde o dinheiro e as armas ficaram apreendidas até que o acusado comprove a origem do dinheiro e o porte das armas, que são de sua propriedade.
O veículo do acusado foi apreendido pela PRF, pois a documentação estava irregular, assim como sua CNH, por ter se negado a fazer o teste do bafômetro. Após o registro o acusado foi liberado. O carro já apresentava 11 multas.
Procurados, as polícias Civil e Militar ainda não retornaram à reportagem.

Comentários