Witzel volta a falar sobre caso Marielle: 'Eu não manipulo a polícia do Rio'

Governador deu declaração durante integração de 47 soldados ao quadro do 7º BPM (São Gonçalo)

Por Anderson Justino

Formatura de Policiais Militares com a participação do Governador do Rio, Wilson Witzel, em São Gonçalo
Formatura de Policiais Militares com a participação do Governador do Rio, Wilson Witzel, em São Gonçalo -
Rio - Quarenta e sete novos soldados, recém formados no curso de formação da Polícia Militar, foram integrados ao quadro da corporação do 7º BPM (São Gonçalo), na tarde desta quinta-feira. O governador Wilson Witzel foi quem deu as boas vindas aos praças. O chefe do executivo voltou a rebater as acusações do presidente Jair Bolsonaro, sobre a interferência nas investigações das mortes da vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes.
"Eu não manipulo a polícia do Rio de Janeiro. Esse sujeito, Jair Bolsonaro, está acusando um governador do estado a manipular a policia do seu estado. A policia no nosso estado é independente. Eu não posso fazer o contrário, tentar manipular a policia para que certas pessoas não sejam investigadas. Quem não deve não teme", rebateu.
Ataques
O presidente Jair Bolsonaro fez duras críticas ao governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), durante live transmitida pelo Facebook. Bolsonaro acusa Witzel de vazar informações sobre caso Marielle, vereadora do Rio assassinada em março do ano passado, e afirmou não ter dúvidas da participação de Witzel na "confecção" do inquérito do caso. O presidente também disse que Witzel quer "o poder pelo poder" e "se acha gostosão".
"O governador sabia que ia vazar e estava comemorando. Quando meu avião decolou no sábado pra China, com quatro parlamentares e os ministros, juntei e contei o que ia acontecer", disse ele. Segundo Bolsonaro, Witzel já sabia da matéria que seria vinculada pelo Jornal Nacional que fala sobre a citação ao seu nome na investigação.

Comentários