Criança é sequestrada pela mãe em shopping da Zona Oeste

Mulher não tinha mais a guarda da filha, mas elas se encontravam todos os sábados

Por *Rachel Siston

Rio - Uma criança de 5 anos foi sequestrada pela mãe, na tarde de sábado, em uma loja do West Shopping, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Com um mandado de busca e apreensão, a tia e responsável legal da menina, Mariana de Moura Santana, 44, acompanhou as buscas feitas neste domingo pela Polícia Militar e um oficial de Justiça no endereço dos pais da vítima, em Sepetiba, também na Zona Oeste. Júlia Soares de Moura e os pais não foram encontrados ou vistos pelos vizinhos. O plantão do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) emitiu um alerta do sequestro para as polícias Civil, Militar, Rodoviária, Aérea, Marítima e de Fronteiras.

A tia conta que tem a guarda provisória da criança desde janeiro deste ano, após denunciar o abuso sexual cometido pelo pai da criança, André de Moura Santana, de 40, em dezembro do ano passado. O caso foi registrado na 43ª DP (Guaratiba) e a menina chegou a passar por exame de corpo de delito que, mesmo constatando fissura anal, teve resultado inconclusivo, porque o ferimento poderia ter sido causado por problema de saúde.

Comportamento estranho
Júlia foi ouvida por psicólogos do Conselho Tutelar e a Justiça determinou que os pais perdessem a guarda por estupro de vulnerável e negligência.

Ainda segundo Mariana, a menina passava a maior parte do tempo com ela e a avó paterna, porque o pai era dependente químico. Ela começou a notar a mudança no comportamento na hora dos banhos da criança, que ficava histérica e pedia para que não encostassem em suas partes íntimas, até que relatou os abusos sofridos.

Entretanto, em setembro deste ano, a Justiça determinou que os pais poderiam visitá-la aos sábados, em locais públicos, já que a menina não demonstrou insegurança com relação à mãe. Desde 27 de setembro, Júlia encontra os pais com um acompanhante escolhido por Mariana.

"Eu tenho uma ordem de restrição contra eles, então precisei contratar uma pessoa para ir com a Júlia. Essa semana, ela disse que teve um pesadelo, que eles tinham levado ela", contou a tia da vítima.
*Estagiária sob a supervisão de Gustavo Monteiro 
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários