Comlurb espera recolher 300 toneladas de lixo de Copacabana nesta terça-feira - Divulgação
Comlurb espera recolher 300 toneladas de lixo de Copacabana nesta terça-feiraDivulgação
Por O Dia
Rio - A Ciclus Ambiental, empresa responsável por levar o lixo entregue pela Comlurb para a Central de Tratamento de Resíduos de Seropédica divulgou, nesta quarta, um comunicado informando que será forçada a reduzir, a partir de sábado, sua frota de caminhões. Segundo a Ciclus, a decisão da Prefeitura de congelar os pagamentos devidos aos fornecedores e servidores impede que o serviço continue funcionando. 
A nota informa que a Ciclus negociou com instituições e credores condições para manter o serviço operando normalmente até sexta-feira. A dívida do município do Rio com a concessionária alcançará, no dia sábado, R$ 62 milhões. Além disso, não há previsão orçamentária para a remuneração nos meses de outubro, novembro e dezembro. Sem um pagamento imediato por parte do município, a empresa diz que terá títulos protestados e cortes no crédito junto aos fornecedores, gerando redução do número de carretas que levam o lixo até o aterro de Seropédica e suspensões de alguns serviços.

A concessionária diz estar tentando uma solução de forma administrativa e também na Justiça, onde obteve liminar favorável. Mencionaram, ainda, que a empresa tem alertado seguidamente sobre o problema a todos os órgãos fiscalizadores e de meio ambiente, como Ministério Público do Estado do Rio, Tribunal de Contas do Município, Ministério Público Federal, Instituto Estadual do Ambiente, dentre outros.

De acordo com a empresa, a decisão afetará 950 funcionários, o que inclui o mês em curso e o 13º salário, além das operações que demandam investimentos e constantes para manter os padrões ambientais e legais. Os insumos essenciais à prestação dos serviços da concessionária, como diesel, argila e produtos necessários ao tratamento de chorume, dependem de pagamentos prévios a fornecedores.
Publicidade
Procurada, a prefeitura informou que a Comlurb vem cumprindo "mês a mês" o contrato com a Ciclus. Confira a íntegra.
"A Comlurb vem cumprindo mês a mês o Contrato e os acordos firmados com a Ciclus. A parcela relativa aos serviços de outubro foi paga de forma substancial e o remanescente está sendo objeto de regularização. Já a parcela relativa aos serviços do mês de novembro ainda se encontra dentro do prazo regular para pagamento. A Comlurb mantém constantes tratativas com a empresa sobre o equacionamento das pendências de exercícios anteriores existentes nas vias administrativa e judicial, na forma da Lei, para minimizar os impactos e atingir a mais rápida regularização."