A principal técnica utilizada pela clínica para atender as pessoas com fobia de dentista é a analgesia com óxido nitroso (N2O), popularmente conhecido como o
A principal técnica utilizada pela clínica para atender as pessoas com fobia de dentista é a analgesia com óxido nitroso (N2O), popularmente conhecido como o "gás do riso"Divulgação
Por O Dia
O coração acelera e é impossível ter uma boa noite de sono antes de uma consulta ao dentista. Já na sala de espera, os ombros ficam tensionados e as mãos suadas. Quando finalmente chega a hora de entrar no consultório, a ansiedade aumenta fazendo com que a visita seja ainda mais aterrorizante. Todas essas sensações refletem um problema que afeta 61% da população mundial: a odontofobia (medo de dentista).

Para amenizar esta situação, o dentista Daniel Apelbaum, desenvolveu algumas técnicas para ajudar seus pacientes. Tudo começa com a identificação do problema.

Antes de iniciar o tratamento com um odontofóbico, os profissionais da clínica sugerem uma visita prévia do cliente ao dentista para avaliar o grau de ansiedade associado ao atendimento odontológico e, também, para identificar a necessidade de exames complementares.

Segundo Daniel, o primeiro passo é realizar um Inventário de Ansiedade Dental, que tem como objetivo conhecer o histórico da pessoa e buscar de onde vem o medo. “Muitos passam a desenvolver a odontofobia após uma experiência negativa na infância. O trauma pode se estender até a vida adulta, prejudicando a saúde bucal do paciente”, explica o especialista.

Durante o tratamento

Eis chegado o momento mais temido pelos odontofóbicos: a visita ao dentista. “Sabendo que muitas pessoas possuem este problema, decidimos promover um ambiente acolhedor e com distrações visuais e sensoriais que são capazes de ajudar a controlar a ansiedade do paciente”, explica o dentista. “Em uma das salas, por exemplo, há uma mini cachoeira, pois o som da água induz o cérebro a um estado mental de relaxamento”, conta.

Além de todos estes investimentos, a principal técnica utilizada pela clínica para atender as pessoas com fobia de dentista é a analgesia com óxido nitroso (N2O), popularmente conhecido como o “gás do riso”.

A técnica, que hoje é utilizada por menos de 1% das clínicas odontológicas brasileiras, é capaz de controlar o medo e a inquietação do cliente. Segundo o Dr. Daniel Apelbaum, a analgesia com gás também é capaz de aumentar a tolerância a dor. “O medo da dor faz com que muitas pessoas deixem de ir ao dentista, o que pode fazer muito mal, pois muitos dos casos são simples de serem resolvidos, mas se tornam grandes problemas quando não são tratados a tempo. Entretanto, é preciso destacar que esse tipo de sedação não substitui a anestesia”, explica o dentista.

Para o especialista, o óxido nitroso pode ser considerado um dos principais aliados dos pacientes com odontofobia. Ele explica que há um cilindro pressurizado que armazena ambos os gases, N2O e O2, que estão conectados por tubos a uma máscara nasal que a pessoa precisa usar. A quantidade de gás utilizada é controlada pelo próprio dentista, que precisa estar habilitado para o uso desta técnica. “Não é qualquer profissional que pode manusear o gás, pois qualquer tipo de sedação, quando não ministrada corretamente, pode colocar a saúde do paciente em risco”, afirma o sócio da clínica Apelbaum Odontologia.