Daniel Jean teve 60% do corpo queimado - Arquivo Pessoal
Daniel Jean teve 60% do corpo queimadoArquivo Pessoal
Por RAI AQUINO
Rio - Policiais da 23ª DP (Méier) já estiveram em dois endereços ligados à ex-namorada do mobotoy Daniel Jean Rocha Claudino, de 20 anos, para prendê-la. Contra Katia Cristina de Almeida da Silva, 20, há um mandado de prisão temporária pela tentativa de homicídio do jovem. O mandado foi expedido pela 2ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), na última sexta-feira.
Na manhã da quarta-feira da semana passada, Katia jogou gasolina em cima do motoboy e ateou fogo, em frente a casa dele, no Cachambi, na Zona Norte do Rio. O jovem teve 55% do corpo queimado e está internado Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, com o quadro de saúde grave.
Publicidade
"A gente já tem certeza que foi ela que praticou o crime, mas não sabemos onde ela está. Temos o mandado de prisão e estamos aguardando ela ser encontrada ou se entregar", destaca a titular da 23ª DP, a delegada Márcia Becker, que está a frente das investigações.
A delegada conta que espera a melhora no quadro de saúde do motoboy para ouvi-lo. Ela diz que já colheu o depoimento de alguns familiares dele.
Publicidade
"Estamos tentado encontrar outras testemunhas. Estivemos no local para verificar se existia câmera que pudesse ter gravado, mas infelizmente não achamos nada. Agora, estamos tentando prendê-la, até para que ela relate alguma coisa", Becker acrescenta.

Galeria de Fotos

Daniel Jean Rocha Claudino Arquivo Pessoal
Daniel Jean Rocha Claudino Arquivo Pessoal
Daniel Jean Rocha Claudino Arquivo Pessoal
Daniel Jean Rocha Claudino Arquivo Pessoal
Daniel Jean Rocha Claudino Arquivo Pessoal
Daniel Jean teve 60% do corpo queimado Arquivo Pessoal
Publicidade
'VIDA POR UM FIO'
A família diz que Daniel Jean o quadro de saúde dele inspira muitos cuidados. O jovem teve queimaduras de segundo e terceiro grau e está no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do Souza Aguiar desde o domingo. Antes, ele passou pelo Hospital Salgado Filho, no Méier, para onde foi levado assim que foi incendiado.
Publicidade
"Cada dia é um dia diferente. Ele está todo enfaixado, o braço, a perna, o peito. A médica disse que o caso dele é muito grave por se tratar de uma queimadura em uma extensão muito grande do corpo dele e por ter queimadura de segundo e terceiro grau", lamenta a tia, a artesã Andrea dos Santos Rocha, 49. "Ele é um paciente que requer muito cuidado, mas os médicos estão fazendo de tudo, dando toda força porque ele é o mais grave do setor".
Andrea diz que o motoboy está consciente. Segundo ela, nesta quarta ele teve febre e teve que ser colocado na oxigenação, já que estava com dificuldades de espirar. Os médicos chegaram a cogitar levá-lo ao Centro de Tratamento Intensivo (CTI) caso não melhorasse. 
Publicidade
"O Daniel ainda corre risco de morte. A vida dele está por um fio. Mas ele não se queixa de dor, porque está com o medicamento forte. Ele fala para orarem por ele e que quer sair de lá, para não o abandonarem e pede desculpas porque a gente tinha avisado a ele para se afastar dessa menina desde que começaram a ter problema, há muito tempo", a tia acrescenta.