Construção irregular na Ladeira dos Tabajaras começa a ser demolida

Estrutura não tinha licença, estava em área de proteção ambiental e acima do gabarito permitido

Por O Dia

Construção irregular tinha cinco pavimentos, mas não tinha licença
Construção irregular tinha cinco pavimentos, mas não tinha licença -
Rio - A Secretaria Municipal de Infraestrutura, Habitação e Conservação (SMIHC) começou a demolir, nesta quarta-feira, uma construção irregular de cinco pavimentos, na Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. O prédio não tinha licença, estava em área de proteção ambiental e acima do gabarito permitido. De acordo com Prefeitura do Rio, agentes já haviam notificado os responsáveis pelas obras e determinado a paralisação e derrubada da estrutura.

Policiais Militares da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) deram apoio a operação da secretaria. Não houve prisões ou apreensões. A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) instaurou procedimento para apurar o caso e diligências estão em andamento. Agentes da Guarda Municipal, Rioluz, Comlurb e Secretaria Municipal de Ordem Pública também participam da ação.

Em nota o Ministério Público do Rio (MPRJ) disse que já há inquérito instaurado em curso, mas as investigações correm sob sigilo. O secretário Sebastião Bruno orientou os cariocas sobre os cuidados na compra de imóveis.

“Antes de fechar um negócio, é importante verificar se o terreno é de propriedade da construtora, se a empresa é idônea, se há Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), se o projeto está aprovado na Prefeitura e também se há Habite-se. Caso contrário, não compre porque a construção é irregular, pode estar em área de risco e comprometer a segurança das famílias”, explicou o secretário.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários