Equipe de vigilância mede temperatura de passageiros no Galeão

Medida serve para verificar se há pessoas com febre e outros sintomas do novo coronavírus

Por O Dia

Intenção é evitar que estrangeiros fiquem presos no Brasil, como ocorre com centenas de argentinos que estão dormindo no aeroporto de Guarulhos há dias
Intenção é evitar que estrangeiros fiquem presos no Brasil, como ocorre com centenas de argentinos que estão dormindo no aeroporto de Guarulhos há dias -
Rio - Dez dias depois de Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, instaurar um gabinete de crise para conter a propagação do novo coronavírus, a Secretaria de Estado de Saúde adotou mais uma medida de prevenção à Covid-19, desta vez no Aeroporto do Galeão. Desde a última segunda-feira (23/3), vigilantes passaram a atuar na área de desembarque, com o objetivo de medir a temperatura de passageiros vindos de voos internacionais.
A ação tem como finalidade identificar se há alguma pessoa com febre e tosse, os principais sintomas do coronavírus. Além disso, os agentes informam se os examinados apresentam quadro preocupante e se precisam de ajuda médica.
Secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos acredita que a decisão deve auxiliar na contenção da pandemia. "O Galeão é porta de entrada para o estado. Com a triagem ainda no terminal de desembarque internacional, fazemos dois bloqueios: contra a pandemia do vírus e contra a 'infodemia', as informações falsas que são compartilhadas. Estamos identificando turistas que apresentem sinais da Covid-19 assim que chegam no Rio e, com os assintomáticos, esclarecemos dúvidas sobre a doença e orientamos quanto às precauções de higiene. O público tem nos respondido com boa receptividade", destacou.

Sobre o tempo de duração da ação, o governo informa que os vigilantes sanitários devem ficar todos os dias no Terminal 2 do Galeão até o fim de março, de 5h até o último horário de desembarque internacional.

Comentários