Entregas para idosos em até 48 horas

Para evitar exposição ao coronavírus, decreto municipal estabelece que supermercados devem priorizar sistema de delivery para a terceira idade

Por O Dia

Decreto municipal visa facilitar a vida dos idosos e evitar a exposição ao vírus que provoca a Covid-19
Decreto municipal visa facilitar a vida dos idosos e evitar a exposição ao vírus que provoca a Covid-19 -

A Prefeitura do Rio editou, na última terça-feira, decreto que garante a entrega das compras de supermercado feitas por idosos com 60 anos ou mais em um prazo máximo de 48 horas. A determinação vale para as unidades que já adotavam o serviço de delivery e para os pedidos realizados por telefone ou WhatsApp. Eles, porém, devem procurar as lojas localizadas em um raio de até dois quilômetros. A medida visa evitar a exposição de pessoas do grupo de risco ao Covid-19.

O decreto, é claro, foi aprovado pela terceira idade. Para os idosos, as alterações no prazo de entrega trouxeram alívio para a hora das compras. A aposentada Anadir da Silva, de 71 anos, ficou satisfeita com a medida. Ela lembra que anteriormente saía três vezes por semana para ir ao mercado. Agora, pode fazer o pedido sem se expor à Covid-19 e recebe as compras em um prazo bem curto e via telefone.

"Eu acho muito importante porque protege a população idosa e vai ser importante principalmente para aqueles que moram sozinhos. A gente pode ser atendido com mais segurança e cuidado para poupar nossa saúde. É mais um amparo para nós nesse momento difícil", afirmou Anadir.

Para cumprir os prazos de entrega, os supermercados precisaram se adequar à nova realidade. A rede Supermarket garante que já estava preparada para o aumento da demanda por delivery. De acordo com Manuel Sil, diretor de Marketing, o número de entregas nas filiais que disponibilizam o serviço - Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Campo Grande e Jaccarepaguá - registrou aumento de 300%, em comparação com fevereiro.

Diante do crescimento de vendas e liberação de funcionários do grupo de risco, Sil conta que aumentou também o número de contratações. "Desde o começo da crise, contratamos 50 funcionários para as filiais com serviço de delivery. Na loja da Barra da Tijuca, temos 15 trabalhando exclusivamente com separação para entrega. Eu acho mais do que justo cumprirmos o prazo do decreto. Quando recebemos o pedido, consta no cadastro se o cliente é idoso e, então, damos preferência. A maioria das compras são entregues no mesmo dia", apontou Sil. 

O aumento da demanda por delivery também foi observada pelo SuperPrix. A rede teve um aumento de 50% das compras online no mês, em comparação com fevereiro. Os pedidos podem ser feitos pelo site, por aplicativo e por telefone, e o serviço de entrega está disponível nas filiais Maracanã, Estácio, Penha, Grajaú, Tijuca, Usina, Méier, Riachuelo e Engenho Novo, na Zona Norte, e Copacabana, Ipanema e Leblon, na Zona Sul.

Uma nova alternativa de fazer compras

Com o medo de sair às ruas para fazer compras, os supermercados 100% online ganham os holofotes para aqueles que não têm medo de novas experiências. Em março, o Zipp registrou um aumento de 150% no número de pedidos em comparação com o mês de fevereiro. Para o sócio-fundador, Adrian Tsallis, o surto da Covid-19 deu uma oportunidade para que as compras pela internet se apresentasse como uma nova solução.

"O grande desafio dos supermercados online foi quebrar a barreira da experimentação das pessoas, não é nada simples mudar o hábito das compras. O surto do novo coronavírus fez do supermercado online praticamente a única opção", afirmou. Além disso, ele também ficou surpreso ao perceber que um quarto dos cliente do Zipp eram pessoas com mais de 65 anos, faixa etária pouco acostumada a utilizar o e-commerce.

Tsallis explica que com as necessidades geradas pela Covid-19, o setor conseguiu "quebrar o tabu" sobre as comodidades da terceira idade. "Muitos acreditavam que idosos não recorriam ao e-commerce porque já estavam acostumados com as lojas físicas, mas não tiveram dificuldade ao utilizar o Zipp". A rede faz entregas em toda a Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O DiaFaça uma contribuição

Comentários