Policiais que atuam em bloqueios nas estações de trem, barcas e metrô são os mais vulneráveis e podem ser infectados - Cléber Mendes
Policiais que atuam em bloqueios nas estações de trem, barcas e metrô são os mais vulneráveis e podem ser infectadosCléber Mendes
Por

A pandemia do novo coronavírus chegou à Polícia Militar. Fontes da corporação confirmam que 297 policiais foram afastados das ruas com a suspeita de estarem infectados com a Covid-19. Uma PM lotada no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, está internada na unidade e aguarda o resultado de exames.

O porta-voz da Polícia Militar, coronel Mauro Flies, informou que a instituição tem adotado medidas de prevenção. E, nos próximos dias, a PM deve receber cerca mil e duzentos litros de álcool gel e 900 mil máscaras.

Em nota, a assessoria da PM garantiu que somente a Secretaria de Saúde ou o Ministério da Saúde se pronunciam sobre o assunto.

Wagner Luís, presidente da Associação de Policiais e Militares do Estado do Rio de Janeiro (APMERJ), usou as redes sociais para se pronunciar sobre o caso. "Se somarmos os salários desses 300, percebemos que seria mais barato que o estado fornecesse mascaras para todos os policiais militares. E, mais importante, garantindo que as vidas desses homens e mulheres fossem resguardadas", reclamou.

Enquanto o material não é entregue, quem trabalha nas ruas, principalmente nos pontos de bloqueios que impedem a circulação de pessoas na capital, tem adotado medidas estratégicas para evitar contaminação pelo vírus. Os fuzis e pistolas, usados para enfrentar criminosos armados, deram lugar aos equipamentos de proteção individual, como luvas e máscaras.

"A gente está na linha de frente. Precisamos ter a garantia da nossa proteção", alerta um sargento PM, que está há mais de 20 anos na corporação e pediu anonimato.

Presidente da Sociedade de Infectologia do Rio de Janeiro (Sierj), a infectologista Tânia Regina Constant Vergara acredita que os PMs estejam seguindo alguma determinação dos profissionais da corporação. "Sempre que passo por eles, alerto: mantenham o afastamento, tomem cuidado".

Na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), deputados buscam soluções para auxiliar os profissionais que estão na linha de combate. Renato Zaca (sem partido) disse que se reuniu com o governador Wilson Witzel e pediu kits de higiene para enfrentar a pandemia.

Você pode gostar
Comentários