'Isso é hora de FAZER política?'

Governador do Rio critica mudança de postura do ministro da Saúde e diz que aguarda definição do governo federal por ajuda ao estado

Por

Depois de anunciar que poderia afrouxar medidas de isolamento social no estado, o governador Wilson Witzel corrigiu sua fala e garantiu que pretende manter a ordem de ficar em casa como está. A mudança de opinião do governador aconteceu ontem à tarde, após fala divulgada mais cedo ter repercutido mal entre autoridades da Saúde. Witzel também criticou o posicionamento do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que alinhou seu discurso ao do presidente Jair Bolsonaro. "Isso é hora de fazer política?", questionou o governador.

"Reafirmo nossa responsabilidade, baseado na OMS, nos especialistas e no meu secretário da Saúde de que as pessoas, neste momento, precisam ficar em casa; de que é necessário o isolamento social, que o mundo inteiro está fazendo", disse Witzel, em áudio divulgado no RJTV, da Rede Globo.

Antes disso, o governador havia dito que a manutenção da quarentena dependeria de ajuda federal, do contrário, o estado entraria num "caos financeiro": "Não podemos pedir para autônomos, pequenos empresários, para empresas ficarem paralisadas, se não houver uma sinalização imediata do ministro Paulo Guedes", alertou Witzel.

O governador também criticou o novo discurso do ministro da Saúde, que anteontem afirmou ter sido muito cedo para se fazer quarentena. "Esse novo posicionamento deixa a sociedade zonza: 'Fico em casa ou não fico em casa?'. Isso é inadmissível, porque o ministro mudou totalmente sua visão sobre o isolamento", criticou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro