Agentes da Seop fiscalizam lojas no Rio - Divulgação
Agentes da Seop fiscalizam lojas no RioDivulgação
Por O Dia
Rio - A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) fiscalizou, nesta semana, 826 estabelecimentos comerciais não essenciais em toda a cidade, atendendo às determinações da Prefeitura do Rio para o combate ao novo coronavírus (Covid-19). Destes, 621 fecharam após a orientação dos agentes municipais.
Ao todo, foram nove ações conjuntas com a Guarda Municipal e a Secretaria Municipal de Fazenda, entre quarta e quinta-feira, contemplando a orla e vias internas de bairros das zonas Sul e Oeste, além do Centro e Zona Norte (Madureira, Méier e Pavuna).

Nesta sexta-feira, os agentes atuam em Campo Grande e no Centro em atendimento a demandas de cidadãos registradas na Central 1746 (telefone, site ou aplicativo), denunciando o funcionamento irregular de comércios variados.

Balanço de quinta-feira
Publicidade
Nesta quinta-feira, equipes percorreram toda a extensão da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, na Zona Sul, e a Rua Dias da Cruz, no Méier, na Zona Norte. Ao todo, 24 estabelecimentos (14 em Copacabana e 10 no Méier) foram fechados, entre eles: lojas de departamentos, chocolates, bolos, biscoitos e produtos naturais; franquias de fast-food; lanchonetes e restaurantes. À noite, mais dois estabelecimentos foram fechados na Rua Riachuelo, no Centro.

A restrição também abrange o comércio ambulante. Os vendedores têm sido orientados a se retirar, para evitar aglomerações. Ontem, foram feitas oito desobstruções de calçadas (três na Zona Sul e cinco no Méier). A Guarda Municipal autuou, ainda, 30 veículos: 19 no Méier e 11 na Zona Sul.

A suspensão é por tempo indeterminado. Entre as exceções estão supermercados e hortifrútis; padarias (sem consumo no local); pet shops; lojas de materiais de construção; e postos de combustíveis. Mais informações no site.

Ação atende 33 pessoas em situação de rua na Praça XV e Central

Outra ação de ordenamento coordenada pela Seop, nesta quinta-feira, na Praça XV e no entorno da Central do Brasil (proximidades do Campo de Santana), teve como saldo o atendimento a 33 pessoas em situação de rua. A operação antecedeu a desinfecção do Exército nas estações e composições de trem, metrô e barcas, localizadas nesses locais.

A ação preparatória também contemplou a retirada de ambulantes irregulares e limpeza urbana. Participaram dos trabalhos 15 agentes da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Guarda Municipal, Coordenadoria de Controle Urbano (CCU, da Secretaria Municipal de Fazenda) e Comlurb.