Vacinas contra gripe poderão ser encontradas em farmácias no Rio

Serão imunizados portadores de doenças crônicas não transmissíveis

Por Agência Brasil

Portadores de doenças crônicas não transmissíveis poderão ser vacinados em farmácias do Rio de Janeiro
Portadores de doenças crônicas não transmissíveis poderão ser vacinados em farmácias do Rio de Janeiro -
Rio - A campanha de vacinação contra a influenza ganhou nesta segunda-feira (27) um reforço no Rio de Janeiro. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) começou uma parceria com redes de farmácias da cidade, onde também será possível vacinar portadores de doenças crônicas não transmissíveis contra a gripe. Até quinta-feira (30), maiores de 15 anos que estejam dentro do grupo poderão tomar a vacina gratuitamente em uma das 24 farmácias habilitadas das redes Venâncio, Pacheco, A Nossa Drogaria e Farmácia do Leme. As vacinas são as mesmas distribuídas aos estados pelo Ministério da Saúde.

Para se imunizar, a pessoa precisa apresentar documento com foto, pedido médico ou receita com a prescrição de medicamento para o seu caso. São consideradas doenças croônicas não transmissíveis: as doenças respiratórias crônicas, doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes, a imunossupressão e a obesidade. Pessoas com trissomia ou transplantadas também estão incluídas no grupo.

“Tem duas vantagens nas farmácias: servir como mais um ponto de atendimento e a vacinação por oportunidade, ou seja, a de atender quem vai lá para comprar remédio e que esteja no público-alvo. São pessoas que, eventualmente, nem iriam a um posto normal de vacinação, e que ali terão a oportunidade de se vacinar. É um grande movimento de abertura de outros pontos de vacinação e de evitar que essa pessoa tenha contato com alguém que possa ter covid-19 e transmitir”, disse o médico sanitarista da Secretaria de Estado de Saúde do Rio (SES-RJ), Alexandre Chieppe, em entrevista à Agência Brasil.

Detran
Até a próxima sexta-feira, uma parceria entre a prefeitura do Rio e o Detran vai ampliar os locais de vacinação, nos postos do Detran da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, e da Rua Haddock Lobo,  na Tijuca, Zona Norte da cidade. O funcionamento é das 10h às 14h e, além de doentes crônicos, serão atendidos idosos que ainda não se vacinaram, caminhoneiros e motoristas de transporte coletivo. Todos com identificação.

Escolas
O médico sanitarista Alexandre Chieppe disse que a ampliação dos postos de atendimento foi uma recomendação para todos os 92 municípios do estado, que deveriam montar uma estratégia para evitar aglomerações e facilitar a ida das pessoas aos locais.

No Rio de Janeiro, além dos postos do Detran, alguns municípios também fazem vacinação em casa, principalmente para pessoas mais velhas ou com dificuldade de locomoção. “Muitos locais também estão utilizando o espaço das escolas que estão fechadas para poder fazer vacinação. São estratégias muito bem-vindas, porque diminuem a concentração de pessoas nos postos de vacinação”, completou.

Campanha
De acordo com Chieppe, a primeira etapa da campanha de vacinação contra a influenza, voltada para pessoas acima de 60 anos, teve uma cobertura bastante satisfatória. Agora, na segunda etapa, a procura tem sido elevada, até por conta do temor em relação à pandemia de covid-19 e os sintomas serem bastante semelhantes. O médico voltou a alertar que a vacina é contra a influenza e que, até o momento, não existe forma de se imunizar contra o novo coronavírus.

“Havia uma preocupação de que as pessoas, achando que estavam se vacinando contra a covid-19, eventualmente, pudessem relaxar as medidas de proteção. A gente enfatizou que a vacina é contra a gripe, atualizada em relação às cepas que circulam no Brasil e nos principais locais do mundo. Ela deve ser tomada por todo o público-alvo, independentemente de já ter se vacinado no ano passado. Ela visa proteger contra uma doença muito grave e que infelizmente causa muitas mortes todo ano que é a gripo”, destacou, acrescentando que é importante atingir a cobertura vacinal, uma vez que, quanto maior o número de pessoas imunizadas, menor a possibilidade de circulação do vírus.

Salas de vacinação
Na capital, que passa a contar com o reforço das farmácias a partir de hoje, a SMS também manteve as 233 salas de vacinação em clínicas da Família e nos centros municipais de Saúde. Nesses locais, o atendimento é das 8h às 17h.

A secretaria informou que desde o início da Campanha de Vacinação contra a Gripe, no dia 23 de março, foram imunizadas mais de um milhão de pessoas, com a cobertura de 95,6%, superando assim a meta de 90% do público-alvo de idosos. Na segunda fase, com o objetivo de imunizar profissionais das forças de segurança e salvamento; pessoas com doenças crônicas; funcionários do sistema prisional; pessoas privadas de liberdade; caminhoneiros e funcionários de transporte coletivo e do porto, mais de 82 mil já foram vacinados. A campanha segue até o dia 22 de maio.

Comentários