Hello, teacher!

Paixão pela língua inglesa e pela docência são motores para esses profissionais

Por Gustavo Monteiro

Morador da Zona Oeste, o baiano Laurindo Lima, de 38 anos, é professor de inglês do Brasas, no Rio, há 10
Morador da Zona Oeste, o baiano Laurindo Lima, de 38 anos, é professor de inglês do Brasas, no Rio, há 10 -
Autodidata, Laurindo começou a dar aulas de inglês com apenas 17 anos, ainda na Bahia, onde nasceu. Aos 26 se mudou para o Rio e, dois anos depois, entrou para o corpo docente do Brasas, onde está até hoje. Morador de Vila Valqueire, na Zona Oeste, ele tem uma rotina bastante cheia, mesmo na quarentena: de 7h às 20h30 dá aulas online para as suas 10 turmas.
Ser professor foi uma coisa acidental. Inicialmente, pensava em ser advogado. Mas criei paixão pela língua inglesa aos dez anos, quando comecei a estudar sozinho. Depois de 20 anos em sala de aula, não me vejo fazendo outra coisa que não seja lecionar. Para ser ou se tornar professor no Brasil, você tem que amar a educação e acreditar no poder transformador que ela exerce. Ser professor faz parte de minha essência", diz o professor de 38 anos.
Com nome de atriz americana - e a mesma data de nascimento, 1º de junho - Marilyn Leonardo Pereira, de 46 anos, também começou bem cedo. Aos 18, se formou no Fisk, em Jacarepaguá, aos 20 anos assumiu sua primeira turma em uma escola primária de Pedra de Guaratiba, e aos 29 alcançou o posto de coordenadora pedagógica da Fisk, em Campo Grande, função que exerce até hoje.
Marilyn Leonardo começou bem cedo. Aos 17 anos, se formou no Fisk - ARQUIVO PESSOAL
Como se não bastassem as 20 horas de trabalho semanais no curso de inglês, ela ainda tem que dar conta de duas matrículas em escolas estadual e municipal. A carga chega a 44 horas por semana. "Estou trabalhando até mais na quarentena, as aulas continuam acontecendo nos mesmos dias e horários das turmas presenciais", revela a professora, que mora no Recreio. "Eu não escolhi ser professora de inglês, eu fui escolhida. Despertar essa paixão em outras pessoas é muito gratificante", emociona-se Marilyn, que exalta também a possibilidade de ter podido viajar para o exterior. "Estive na Irlanda e na Itália pouco antes da pandemia".

Salários no Rio entre os melhores

De acordo com o site 'Dissidio.com.br', que realiza levantamentos sobre salários de diversas profissões, professores de inglês do Rio estão entre os mais bem pagos do país. Os maiores salários médios estaduais são: São Paulo (R$ 2.786,01), Rio de Janeiro (R$ 2.669,05), Rio Grande do Sul (R$ 2.620,45) e Minas Gerais (R$ 2.612,73). Já os menores foram encontrados em: Rondônia (R$ 1.649,10), Alagoas (R$ 1.701,49), Piauí (R$ 1.759,18) e Paraíba (R$ 1.772,98). Considerando apenas as capitais, os melhores salários médios proporcionais à carga horária estão em Porto Alegre (R$ 3.371,48), São Paulo (R$ 3.171,37), Belo Horizonte (R$ 3.045,10) e Rio de Janeiro (R$ 2.617,40).

Preparatórios online no curso Brasas

O curso de inglês Brasas está com matrículas abertas para cursos online preparatórios para os testes TOEIC e TOEFL Junior, certificações internacionais de proficiência no idioma, nas oito unidades da Zona Oeste na Barra, Recreio, Jacarepaguá e Campo Grande. Ministradas totalmente em inglês, as aulas online vão acontecer a partir do dia 6 de maio. Informações e matrículas no site https://bit.ly/brasasprep20.

Galeria de Fotos

Morador da Zona Oeste, o baiano Laurindo Lima, de 38 anos, é professor de inglês do Brasas, no Rio, há 10 ARQUIVO PESSOAL
Marilyn Leonardo começou bem cedo. Aos 17 anos, se formou no Fisk ARQUIVO PESSOAL

Comentários