Caiado (DEM) quer a criação de um hospital modular em Guaratiba - Divulgação
Caiado (DEM) quer a criação de um hospital modular em GuaratibaDivulgação
Por Danillo Pedrosa
Um dos bairros mais populosos do Rio, Guaratiba luta por leitos hospitalares muito antes da pandemia. Apesar dos mais de 110 mil habitantes, segundo o último Censo (2010), o local não possui unidades de saúde pública ou UPAs para emergências, e moradores precisam recorrer a bairros vizinhos.
No dia 7 de maio, foi apresentado na Alerj, de autoria dos deputados Carlo Caiado (DEM), Jorge Felippe Neto (PSD) e Lucinha (PSDB), um projeto de lei que prevê a criação de um hospital de campanha modular em Pedra de Guaratiba.
Publicidade
Presidente da Associação de Moradores do Rio Piraquê, Eder Britto, de 46 anos, reforça a necessidade da construção de um hospital de emergência na região.
"Pedimos uma UPA, mas é difícil chegar. Com a criação desses hospitais de campanha, sonhamos com essa ajuda. Seria muito importante e atenderia vários bairros", disse Eder.
Publicidade
Em emergências, moradores de Guaratiba chegam a levar cerca de 40 minutos para buscar atendimento, geralmente em Campo Grande ou Santa Cruz.
"Há muitos anos, a gente vem lutando por um hospital ou uma UPA em Guaratiba. Se acontece algo muito grave, pode não dar tempo de chegar no Rocha Faria ou Pedro II", explica Marco Farinha, uma liderança conhecida entre os moradores do bairro.