Rodrigo Guadagno dos Santos era do Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro - Reprodução / Facebook
Rodrigo Guadagno dos Santos era do Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de DinheiroReprodução / Facebook
Por Natasha Amaral
Rio - O diretor do Departamento Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHGPP), Antônio Ricardo Lima Nunes, confirmou ao DIA, na tarde desta quarta-feira, que a Polícia Civil já tem um suspeito de matar o policial civil Rodrigo Guadagno dos Santos, de 31 anos, na comunidade do Rola, em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio, na noite de terça-feira (12).

Segundo Antônio Ricardo, a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) realiza diligências para buscar provas sobre a ação criminosa. Na tarde desta quarta-feira, um criminoso suspeito de integrar a milícia da região foi preso, através de uma denúncia ao Disque-Denúncia. No entanto, não é possível afirmar que ele teria participado do crime.
"Nós realizamos uma prisão via Disque-Denúncia. Era um foragido suspeito de integrar a milícia da região. Não é possível afirmar a participação dele no crime, mas continuaremos com a investigação e estamos empenhados em esclarecer o quanto antes", disse o titular.

Rodrigo Guadagno e colegas estavam fazendo uma operação do Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR) na região.

De acordo com testemunhas, o policial estava em uma viatura descaraterizada, que foi atacada por dois homens armados de fuzil que estavam em um Fiat Siena, na Rua Pistóia, por volta das 20h30. Houve troca de tiros, quando o inspetor foi baleado. Ele chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Municipal Pedro II, mas não resistiu aos ferimentos.