Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio - Divulgação
Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do RioDivulgação
Por O Dia
Rio - A Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio (CEDS-Rio), em conjunto com o grupo LGBT Maré Sem Preconceito, organizado pelo líder comunitário Betinho Cabeleireiro, entregou, nesta terça-feira, 120 quentinhas e 300 máscaras para pessoas em situação de rua e vulnerabilidade social no Centro do Rio. As peças foram confeccionadas por travestis e pessoas trans, com tecidos doados para ajudar os mais impactados pela pandemia da Covid-19. A ação contou com o apoio do programa Lapa Presente. 

Galeria de Fotos

Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio Divulgação
Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio Divulgação
Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio Divulgação
Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio Divulgação
Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio Divulgação
Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio Divulgação
Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio Divulgação
Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio Divulgação
Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio Divulgação
Entrega de quentinhas e máscaras no Centro do Rio Divulgação
Publicidade
"Nesse momento de crise sanitária em que existem várias demandas sociais, precisamos nos mobilizar para ajudar os mais necessitados. Os grupos e movimentos sociais LGBTs estão atuando para auxiliar aqueles que precisam, sejam eles, as minorias afetadas ou não. O momento é de unir forças. É de solidariedade. A iniciativa da distribuição de sopa e máscaras na noite de hoje com certeza vai garantir um pouco de acolhimento para essa população", afirma o Coordenador Especial da Diversidade Sexual, Nélio Georgini.
Betinho conta que resolveu fazer a atividade depois de ver que muitas pessoas estavam passando fome e até sede nas ruas. "Semana passada, nós fizemos um sopão e vimos muita gente pedindo. Tem muitos na rua com fome e sede. Eu e nosso grupo LGBT Maré Sem Preconceito estamos aqui para apoiá-los. Fizemos com muito carinho. Inclusive até comemos antes de ir para rua", contou.
Publicidade
Felipe Cruz, vice-presidente do movimento Maré Sem Fronteiras enfatizou que estas pessoas precisam de assistência. "Trabalho movido a base da solidariedade, visando atender ao público vulnerável socialmente, em especial pessoas em situação de rua. Eles se encontram nessas circunstâncias por diversos motivos. Minha filosofia de vida, de pedagogo, que estas pessoas precisam ser assistidas. Que o que está acontecendo hoje não seja só um marco situacional. Estas pessoas possam ser visíveis, abraçadas. Que nós possamos mudar este viés ideológico através destas ações humanitárias", afirma o ativista, que ressaltou que as minorias hoje estão fazendo muito pela sociedade.
"Esse grupo para sociedade é minoria, está fazendo muito pela sociedade. Com o apoio da CEDS, nós, os movimentos sociais LGBTs estão podendo fazer ações humanitárias", completou.
Publicidade
Indianare Siqueira, coordenadora da Casa Nem, também participou da iniciativa.
Outras ações
Publicidade
A CEDS- Rio também participou de outra ação na noite desta terça-feira, nas ruas do Centro. Dessa vez, em conjunto com o coletivo Máscaras do Bem, foram distribuídas 300 máscaras de proteção para pessoas em situação de rua e vulnerabilidade social. As peças foram confeccionadas por travestis e pessoas trans, com tecidos doados para ajudar os mais impactados pela pandemia da Covid-19.
Sobre o Máscaras do Bem:
Publicidade
O projeto Máscaras do Bem é a união do Costura Nem ( ateliê de modelagem ,corte e costura da CasaNem ), Capacitrans - RJ da estilista trans Andrea Brazil, e a EcoModas do costureiro Almir França, do grupo Arco-íris.