Operação no Alemão tem bombas, mortos e casas de moradores invadidas por PMs

Polícia Civil fala em chefe de facção morto

Por O Dia

Carros de moradores foram amassados
Carros de moradores foram amassados -
Rio - Pelo menos cinco pessoas morreram durante uma operação policial no Complexo do Alemão, na manhã desta sexta-feira. Segundo a Polícia Civil, um dos mortos seria o chefe de uma facção, mas não informou a identificação do criminoso. Ele foi localizado em uma unidade hospitalar. Os agentes apreenderam celulares que serão analisados.
A ação no conjunto de favelas da Zona Norte do Rio foi marcada por um intenso tiroteio, que começou ainda no fim da madrugada e só acabou depois das 8h. A PM informou, por meio de suas redes sociais, que o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) realiza operação no local para reprimir o tráfico no local e pediu informações sobre o esconderijo de criminosos na comunidade.
Os disparos aconteceram nas localidades conhecidas como Alvorada, Loteamento, Grota e Nova Brasília. Além dos tiros, bombas foram jogadas e estouraram nas ruas das comunidades.
"Com pandemia global e tudo, assim começou o dia aqui no Complexo do Alemão. Operação da polícia, carros blindados e muitos tiros. Terrível demais, um absurdo tremendo. Força, moradores", o ativista Raull Santiago criticou, pelas redes sociais.
Moradores denunciaram que tiveram suas casas invadidas e lojas saqueadas por PMs que participaram da ação.
Dois carros que estavam estacionados em uma rua da região foram atingidos por um blindado da Polícia Militar e ficaram amassados.
"Aqui na Rua 2, eles quebraram o cadeado do bar do Joselino, entraram e ainda consumiram mercadorias", um morador denunciou, à página Voz das Comunidades.
Até a publicação da reportagem, não havia a informação se os mortos na operação estavam envolvidos no tiroteio com os policiais.
A PM ainda não se manifestou sobre denúncias dos moradores de abusos cometidos pelos agentes.  

Comentários