SÃO GONÇALO à espera do hospital

Unidade para tratamento da covid-19 deveria ter sido inaugurada ontem mas ainda está em construção

Por Juliana Pimenta

Operários trabalham em obras do Hospital de Campanha de São Gonçalo, no bairro Estrela do Norte
Operários trabalham em obras do Hospital de Campanha de São Gonçalo, no bairro Estrela do Norte -

Promessa do Governo do Estado para desafogar o sistema de saúde no combate à covid-19, o hospital de campanha de São Gonçalo segue de portas fechadas. A previsão era de que a unidade fosse inaugurada ontem pela manhã, mas no horário em questão só havia a movimentação de funcionários do canteiro de obras. A Secretaria Estadual de Saúde foi procurada, mas não emitiu resposta sobre a situação da unidade dedicada a atender apenas casos do novo coronavírus.

Segundo fontes ouvidas pelo DIA, o atraso foi motivado por problemas com a Organização Social (OS) Iabas, que administra as instalações de campanha montadas para o período de pandemia. A situação piorou no último sábado, após funcionários da unidade do Maracanã - única em atividade - denunciarem que respiradores do local estavam sendo levados para o hospital de São Gonçalo.

Essa é a segunda mudança de data de inauguração da unidade. No primeiro anúncio, estava prevista para o fim de abril. O hospital de campanha tem capacidade para atender até 200 infectados com o vírus, sendo 40 deles em leitos de tratamento intensivo.

O hospital fica instalado no Clube Mauá, no bairro Estrela do Norte, próximo ao centro. O município tem o quinto maior número de casos confirmados (632) e o quarto em mortes (65).

Procurada, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) não informou a nova data de inauguração para o hospital de campanha do município.

A Organização Social Iabas foi citada na última quinta-feira em operação do Ministério Público Federal (MPF) que investiga esquemas de desvio de verbas na saúde do Rio.

Galeria de Fotos

Operários trabalham em obras do Hospital de Campanha de São Gonçalo, no bairro Estrela do Norte Estefan Radovicz / Agencia O Dia
Dona Glória, de 76 anos, está curada da covid-19 Divulgação

Comentários