Furto e vandalismo no BRT causam fechamento de sete estações

No início da pandemia, 27 já haviam sido fechadas. Sistema atua com toda a frota, mas com 55 estações inoperantes

Por Rachel Siston*

Estação Cardoso de Moraes, em Olaria, teve as catracas vandalizadas
Estação Cardoso de Moraes, em Olaria, teve as catracas vandalizadas -

O fechamento de sete estações do corredor Transcarioca do BRT, por furto e vandalismo, pode provocar aglomeração de passageiros em outros locais do sistema. No início do isolamento social, 27 paradas já tinham sido fechadas, como medida de combate à covid-19. Agora, as estações Arroio Pavuna, Cardoso de Moraes, Divina Providência, Guaporé, Olaria, Pedro Taques e Santa Luzia tiveram que parar, sem previsão de retomada.

Um levantamento feito pelo consórcio aponta aumento de furtos de 28% em março e 189% em abril, contra o mesmo período do ano passado. Já o vandalismo cresceu 12,5% em março e 20% em abril. Nos últimos dois meses, 84 estações foram furtadas ou vandalizadas.

O BRT solicitou a autoridades estaduais e municipais medidas urgentes contra a criminalidade. Em nota, a Guarda Municipal disse que agentes agem no controle a aglomerações no período de isolamento social. Já a PM diz que realiza rondas e abordagens nas proximidades das estações e que atua dentro delas quando é acionada.

* Estagiária sob supervisão de Bete Nogueira

Galeria de Fotos

Estação Cardoso de Moraes, em Olaria, teve as catracas vandalizadas Estefan Radovicz
Prefeitura alega que ação visa permitir acesso à Igreja Universal, onde ficará instalado tomógrafo durante pandemia Daniel Castelo Branco

Comentários