Pandemia do novo coronavírus chega também às embarcações em alto mar

Sindicato dos oficiais da Marinha contabiliza 289 pessoas contaminadas pela covid-19 desde o início da pandemia. Dois tripulantes e quatro passageiros morreram

Por Luana Dandara

Segundo o sindicato, profissionais desempenham funções em local restrito, reunidos em equipes e convivendo nos mesmos ambientes
Segundo o sindicato, profissionais desempenham funções em local restrito, reunidos em equipes e convivendo nos mesmos ambientes -

A pandemia do novo coronavírus chegou também às embarcações em alto mar. Segundo um levantamento do Sindicato Nacional dos Oficiais da Marinha Mercante (Sindmar) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aquaviários e Aéreos (Conttmaf), do dia 17 de março até a última terça-feira, 289 pessoas contraíram a covid-19 em águas brasileiras. Ocorreram ainda seis óbitos pela doença, sendo dois tripulantes e quatro passageiros.

As informações, divulgadas ontem, foram apuradas com oficiais e eletricistas de 150 empresas que atuam no offshore (apoio marítimo), na cabotagem, no longo curso ou em outras atividades relacionadas ao transporte aquaviário brasileiro.

De acordo com o sindicato, esses profissionais continuam desempenhando suas funções em local restrito, reunidos em equipes e convivendo nos mesmos ambientes tanto nas embarcações quanto nos portos e aeroportos durante as trocas de turmas, sendo fundamental um monitoramento permanente e efetivo das empresas.

"O fato é que a grande maioria dos casos de covid-19 ocorridos a bordo poderia ter sido evitada se todas as empresas proprietárias de navios (armadores) estivessem adotando medidas efetivas de prevenção, o que não vem ocorrendo", informou o Sindmar, em nota.

 

Empresas não adotam medidas de segurança

Segundo informações do sindicato, no apoio marítimo há empresas que não adotaram medidas de segurança contra o coronavírus.

"Os navios que operam no apoio marítimo são equipados com ar-condicionado central, com comunicação para todos os compartimentos, e não contam com espaço físico para efetivo isolamento. O fato de algumas empresas não realizarem o desembarque dos tripulantes com suspeita de covid-19 para isolamento em hotel está levando à contaminação de outros membros da tripulação", alertou o Sindmar.

Comentários