Casos de violência doméstica aumentam 50% no Rio

O período de quarentena, quando as famílias estão mais tempos em casa, potencializa fatores que contribuem para este aumento

Por Gustavo Monteiro

Cristiane Machado se tornou ativista contra a violência doméstica após vídeo exibido no 'Fantástico'
Cristiane Machado se tornou ativista contra a violência doméstica após vídeo exibido no 'Fantástico' -
Uma história de coragem. A atriz Cristiane Machado, de 36 anos, que sofria violência física e psicológica do seu até então companheiro, um ex-diplomata influente, ficou conhecida em todo o Brasil após divulgar imagens das agressões no programa 'Fantástico', da Rede Globo, em novembro de 2018. Ele foi preso dias depois. E Cristiane, que vive em três endereços - um deles na Zona Oeste - com medo das ameaças que sofre, se tornou ativista contra a violência doméstica.
O caso dela representa uma ínfima parcela do número de ocorrências no país. Durante a quarentena, o cenário é ainda mais preocupante. Segundo dados do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, houve aumento de mais de 50% no número de denúncias de violência contra mulheres desde que o isolamento começou. A permanência das pessoas em casa por mais tempo pode potencializar fatores que contribuem para isso.
Cristiane foi uma das primeiras mulheres autorizadas pela Justiça do Rio a usar um dispositivo que avisa sobre a aproximação do acusado de violência doméstica.
"No meu caso, a justiça está sendo feita. Saí viva, fui quase morta, e sei que hoje tenho uma missão. Quero ajudar a construir um novo começo de era, e isso é um dever de todos nós: homens, mulheres e Justiça. Todos juntos buscando um mundo mais seguro para as mulheres", afirma a atriz, que tem feito lives no Instagram (@cristianemachadooficial), convidando especialistas para falar sobre o tema. Na última, Cristiane contou com a psicóloga Josiane Souza, que lançou, em março, o livro `Relacionamento Abusivo - Guia Prático para Reconhecer e se Libertar´.
Na publicação, a especialista dá dicas importantes. "Observe se você é monitorada constantemente, o parceiro quer satisfação o tempo todo do que você está fazendo. Por exemplo, manda mensagem ou te liga o tempo todo. É comum também menosprezar e humilhar na frente de outras pessoas", aponta.
"A violência doméstica atinge toda a família, que fica devastada, inclusive os animais domésticos. Minha cachorra também sofreu maus tratos. Precisamos escrever uma nova história nesse país", desabafa Cristiane.

Comentários