PF mira organização que reativava benefícios do INSS suspensos por falta de prova de vida

Estima-se que as fraudes realizadas contra o INSS ultrapassem os R$ 5,68 milhões, dos quais R$ 2,5 milhões foram recuperados aos cofres públicos

Por O Dia

Estão sendo cumpridos cinco mandados de busca e apreensão nos municípios do Rio de Janeiro, Belford Roxo e Mesquita, na Baixada Fluminense
Estão sendo cumpridos cinco mandados de busca e apreensão nos municípios do Rio de Janeiro, Belford Roxo e Mesquita, na Baixada Fluminense -
Rio - A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira a Operação Lazarus que visa desarticular uma Organização Criminosa que reativava fraudulentamente benefícios previdenciários que haviam sido suspensos por falta de "fé de vida", também conhecida como "prova de vida", procedimento para comprovar que o beneficiário está vivo.
Estima-se que as fraudes realizadas contra o INSS ultrapassem os R$ 5,68 milhões, dos quais R$ 2,5 milhões foram recuperados aos cofres públicos.

Estão sendo cumpridos cinco mandados de busca e apreensão nos municípios do Rio de Janeiro, Belford Roxo e Mesquita, na Baixada Fluminense, além de cumprimento de outras medidas cautelares como sequestro de bens e afastamento de servidor do INSS. Na capital, os mandados são cumpridos nos bairros do Flamengo, Rua Barão do Flamengo, Zona Sul, e do Tanque, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio.
A investigação contou com apoio Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária que detectou fraudes.

O nome da operação faz alusão a Lazarus, que voltou à vida depois de sepultado.

Comentários