Presidente Jair Bolsonaro  e o governador Wilson Witzel  - Daniel Castelo Branco / Agência Brasil
Presidente Jair Bolsonaro e o governador Wilson Witzel Daniel Castelo Branco / Agência Brasil
Por O Dia
Rio - O governador Wilson Witzel (PSC) afirmou, nesta terça-feira, em uma entrevista para a rádio Band News FM, que espera deixar de lado as diferenças com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e retomar o diálogo com o governo federal. "Espero que, como eu já tenho dito, o presidente possa retomar o diálogo comigo. Isso é bom para o estado do Rio de Janeiro. Isso é bom para o Brasil", disse o governador na entrevista. 
O governador, a esposa Helena Witzel e outros membros do alto escalão do governo do estado são alvos da Operação Placebo, que apura “indícios de desvios de recursos públicos destinados ao atendimento do estado de emergência de saúde pública de importância internacional, decorrente do novo coronavírus no estado.
Publicidade
De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), há um esquema de corrupção envolvendo a OS Iabas, contratada para a instalação de hospitais de campanha do Rio, e agentes públicos durante a pandemia da covid-19.
Em entrevista a TV Globo, o governador levantou suspeitas sobre a operação ter começado no gabinete do procurador-geral da República, Augusto Aras, com consentimento do presidente Jair Bolsonaro. 
Publicidade
"Se essa investigação partiu de conluios do procurador-geral da República para induzir erros, porque nada vai ser encontrado, responsabilidades terão que ser assumidas pelo procurador-geral da República, pelo presidente. Nós não vamos parar enquanto não suspendermos isso", disse Witzel.
À época, o governador criticou o presidente Jair Bolsonaro. "Quem não está tendo sucesso é o presidente da República, que estimula as pessoas a irem para a rua, o presidente da República que ataca os governadores, ataca os prefeitos, demora para a ajudar no envio das verbas federais que vão ajudar os estados a pagar essas contas", criticou.