Pets procuram

Em campanha da Prefeitura, dezenas de cães e gatos estão disponíveis para adoção no CCZ, em Santa Cruz

Por Danillo Pedrosa

No período de enfrentamento da pandemia, nada como ganhar um 'melhor amigo' para deixar os dias de isolamento mais divertidos. É com esse pensamento que a Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa) pretende conseguir um lar para 152 cães e 50 gatos de estimação no município do Rio, 89 deles do Centro de Controle de Zoonoses Paulo Dacorso Filho (CCZ), em Santa Cruz, que está há 32 anos em funcionamento pelo bem-estar dos animais da região, além de tratar lesões em decorrência de acidentes causados por eles. Até agora, porém, somente um cão foi adotado.

A campanha ainda conta com 16 cães especiais resgatados pelo CCZ em acidentes de carro ou condições de maus-tratos. Um deles é o Geleia, que foi atropelado e ficou com uma das patas atrofiada. Esses animais foram todos resgatados pela entidade, acolhidos e socorridos na unidade de saúde, em Santa Cruz, onde passaram por cirurgias de amputação e, agora, estão aptos a viver em uma nova casa e cheios de amor para oferecer.

"Com um amigo desses em casa, a solidão neste período de isolamento ficará mais leve. Eles são muito bem tratados, mas precisam de uma família e, com toda certeza, vão retribuir com muito amor", disse a secretária municipal de saúde Beatriz Busch ao site oficial da Prefeitura.

Além dos 89 animais para adoção no CCZ (79 cães e 16 gatos), outros 109 estão no Instituo Municipal de Medicina Veterinária, em São Cristóvão, na Zona Norte, também recebendo cuidados e à espera de um novo dono. Todos os animais disponíveis para adoção já estão castrados, vacinados e microchipados, e terão direito à assistência veterinária gratuita da Subvisa.

A campanha também ganhou apoio da primeira-dama da cidade do Rio de Janeiro, Sylvia Jane, que é uma entusiasta da adoção de animais. 

"Nesse momento de pandemia, em que muitas pessoas estão tristes e isoladas, nada melhor que a companhia de um animalzinho. E os adotados, então... Chegam de um jeito mais cativante, trazem muita energia e alegria", disse Sylvia, que há três anos adotou a vira-lata Chay Maria.

Feirinhas suspensas por causa da pandemia

Uma das formas mais eficazes de conseguir um novo lar par os pets, as feirinhas de adoção estão suspensas durante a pandemia do novo coronavírus para evitar aglomerações. A Coordenação de Zoonoses da Vigilância Sanitária costuma realizar feirinhas de segunda a sexta-feira nas unidades veterinárias. E agora, sem elas, tem sido mais difícil conseguir uma nova casa para os animais. 

Atualmente, o CCZ abriga cerca de 300 animais, e o número tende a aumentar enquanto durar a pandemia. Apenas 89 estão aptos para adoção, entre cães e gatos, enquanto outros seguem em tratamento ou permanecem indisponíveis, já que a unidade também resgata cavalos, porcos e demais animais de médio e grande portes.

Como adotar um bichinho

Para levar um desses animais para casa, a burocracia é mínima. É necessário apenas ter mais de 18 anos, apresentar um documento de identificação com foto e um comprovante de residência em uma das unidades de atendimento, que funcionam de segunda à sexta-feira.

O CCZ fica no Largo do Bodegão, 150, em Santa Cruz. Antes de fazer a adoção, o interessado deve agendar uma visita pelo e-mail adote.visaccz@gmail.com.

Além das adoções, o CCZ oferece serviços veterinários a preços populares e atende vítimas de acidentes causados por animais peçonhentos ou venenosos.

Comentários