Crivella anuncia retorno do comércio de rua a partir deste sábado

Lojas, salões de beleza e barbearias fora de shoppings estarão permitidos entre 11h e 17h

Por O Dia

Movimentação na Saara
Movimentação na Saara -
Rio - O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, anunciou nesta sexta-feira a autorização para a retomada do comércio de rua, incluindo salões de beleza e barbearias em lojas fora de shoppings, a partir deste sábado. De acordo com a prefeitura, o retorno será sob regras rígidas, com restrições de horários e limite na capacidade de atendimento aos clientes.

A medida é parte do processo de abertura gradual e responsável das atividades econômicas na cidade, iniciado há três semanas. Além das exigências específicas para cada tipo de negócio, os comerciantes deverão cumprir as regras de ouro determinadas pela Prefeitura para manter seus ambientes sempre ventilados, higienizados e seguros para a população.
"O Comitê Científico decidiu que podemos antecipar para este sábado essas medidas da Fase 3, porque as curvas de contágio do novo coronavírus estão caindo. O número de óbitos de ontem no Rio foi de 36 a menos do que em 25 de junho do ano passado, quando não havia Covid. Isso mostra que estamos com nível de infecção bem menor. Precisamos continuar usando máscaras e higienizando as mãos, mas podemos retomar as atividades econômicas, porque precisamos manter os empregos e gerar trabalho e renda", explicou Crivella.

Regras para o comércio de rua

As lojas funcionarão a partir deste sábado com horário restrito: das 11h às 17h, para não coincidir com horários de funcionamento dos shoppings (que abrem das 12h às 20h) e, assim, evitar aglomeração nos transportes públicos.

As lojas só poderão funcionar com 50% da capacidade. O objetivo é impedir que haja muitas pessoas juntas no mesmo espaço.

Em relação aos salões de beleza e barbearias, o limite é de um terço da capacidade, e estão proibidos tanto serviços de recepção, de bebidas e comidas, quanto atividades simultâneas no mesmo cliente.

Mais flexibilização em 2 de julho

A fase 3 da reabertura das atividades começa na próxima quinta-feira, 2 de julho. Nela, estarão também autorizados a funcionar bares e restaurantes, com restrições, e academias de ginástica, que terão que se submeter a regras rígidas.

Crivella anunciou que a fase 3 será dividida em duas partes. Uma a partir de 2 de julho e outra a partir do dia 10 do mesmo mês, quando as escolas particulares poderão reabrir para aulas presenciais. Esse retorno da rede privada de ensino será facultativo a professores, funcionários e pais de alunos que assim desejarem. Quem preferir não voltar poderá optar por aulas remotas.

Bares e restaurantes a partir do dia 2

Na quinta-feira voltam a funcionar os bares e restaurantes, que até então só poderiam atender com entregas, drive thru e sistema de pagou-levou (take away). A recomendação é para que sejam priorizados os espaços externos, como varandas, por exemplo. Eles poderão ficar abertos até 23h, mas apresentações de música ao vivo estão proibidas. A limitação será de 50% da capacidade.

Regras para academias a partir do dia 2

As academias só poderão funcionar com agendamento de horário pelos clientes, com limitação de um terço da capacidade. O espaço para cada pessoa terá de ser de seis metros quadrados, devido à necessidade de maior distanciamento pra realizar as atividades físicas.
Fecomércio comemora reabertura do comércio de rua 
Representante do comércio de bens, serviços e turismo do Estado, a Fecomércio RJ tem papel estratégico nesta decisão, anunciada na tarde de hoje pelo Prefeito Marcelo Crivella. Desde o lançamento do plano de reabertura, implementado pela Prefeitura do Rio, no dia 2 de junho, a Federação vem lutando para a antecipação da reabertura do comércio de rua, anteriormente prevista apenas para a próxima quarta-feira, dia 1º de julho.

“O comércio de rua representa a maior parte do comércio formal na capital carioca, gera milhares de empregos, renda e contribui de forma substancial na arrecadação de impostos para os cofres municipais. Diante dos riscos ao fôlego financeiro dos negócios, em especial às micro e pequenas empresas, e ao ameaçador crescimento do desemprego, trabalhamos exaustivamente para a abertura das lojas de rua. O retorno das operações do comércio, com certeza impactará positivamente no fortalecimento de toda a cadeia produtiva de comércio e serviços em nossa cidade”, afirma Antonio Florencio de Queiroz Junior, presidente da Fecomércio RJ.

Comentários