Capitão PM Leonardo Gomes da Silva é considerado foragido - Divulgação
Capitão PM Leonardo Gomes da Silva é considerado foragidoDivulgação
Por O Dia
Rio - O Portal dos Procurados divulgou, nesta quinta-feira, um cartaz pedindo informações que levem a localização e prisão do oficial Leonardo Magalhães Gomes da Silva, também conhecido como "Capitão", de 33 anos. Ele entrou para a Polícia Militar em 2006 e deixou de ser tenente, se tornando capitão em agosto de 2014, "pelo critério de antiguidade". Na manhã desta quinta-feira, o Ministério Público do Rio (MPRJ) realizou a Operação Porto Firme, contra envolvidos em uma milícia de Vargem Grande, Vargem Pequena e adjacências, na Zona Oeste do Rio. Dentre os alvos está Leonardo e outro PM. Ambos são suspeitos de liderarem o grupo paramilitar.
Ao todo, são 16 mandados de prisão e 51 de busca e apreensão, que estão sendo cumpridos em vários endereços do estado. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal Especializada da Capital.
Publicidade
Segundo o MPRJ, a milícia da região se aliou a traficantes de drogas para ambos os grupos exercerem o domínio sobre moradores e comerciantes. Os criminosos agem praticando agiotagem, extorsão, corrupção, tráfico de drogas e de armas, homicídios e grilagem de terras. O bando é conhecido na região pela extrema violência. A quadrilha tem uma hierarquia e cada um tem sua função, através de núcleos; são eles:
1. Chefia: Capitão Léo e Biro
2. Gerência: três milicianos
3. Operacional: todos os demais integrantes, exercendo tarefas como as de "vapor" e "olheiro", no tráfico de drogas
Publicidade
Também foi constatado que o grupo faz ações para a proteção de seus integrantes contra inimigos, agindo com violência, intimidação ou até mesmo com a execução dos seus rivais.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização de foragidos da Justiça, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procuradosrj/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular – Disque Denúncia e também pelos aplicativos: https://twitter.com/PProcurados, e https://www.instagram.com/portal.dos.procurados, e em todos os casos O Anonimato é garantido.
Todas as informações sigilosas sobre o caso estarão sendo encaminhadas para Delegacia de Homicídios da Capital.