Árvores protegidas serão identificadas com placas

Prefeitura vai colocar placas em espécies tombadas ou imunes ao corte. Aplicativo mostra onde estão as árvores, algumas centenárias

Por Bruna Fantti

Criança abraça Baobá no Trevo das Missões: trio de árvores vai ganhar placas informativas
Criança abraça Baobá no Trevo das Missões: trio de árvores vai ganhar placas informativas -
Rio - No Trevo das Missões, em Cordovil, onde o fluxo dos carros é constante no acesso a duas vias expressas, três Baobás estão em um canteiro entre as pistas. O trio de Baobá, espécie considerada sagrada em diversas religiões de matriz africana, está na lista de árvores protegidas da cidade que, por lei, são tombadas ou têm imunidade ao corte.

Galeria de Fotos

Criança abraça Baobá no Trevo das Missões: trio de árvores vai ganhar placas informativas Reprodução/ Redes sociais
Protegidas: Palmeiras, na Penha, Zona Norte do Rio Ricardo Cassiano/ Agência O Dia
Protegidas: Figueiras-pagode, no Centro do Rio Cléber Mendes
Sem sinalização dessa proteção, elas passam despercebidas aos motoristas e sofrem com pichações, vandalismo e estão com suas raízes cheias de lixo. Mas isso deve mudar a partir dessa semana.
É o que garante o secretário municipal de Meio Ambiente, Bernardo Egas. “Vamos sinalizar com placas essas árvores. Foi até uma recomendação do Conselho de Meio Ambiente. Tem uma importância educativa, para a população reconhecer a histórias dessas árvores que chegam a ter mais de 300 anos, e um carinho”, disse ao DIA.
Para saber onde estão as árvores protegidas da cidade, basta acessar ao site data. rio, onde um mapa interativo aponta a localização da espécie e seu nome.
Em todas as regiões há árvores protegidas. Um dos exemplares, uma Paineira, com cerca de 12 metros de altura, fica na calçada da base aérea do Galeão, na Ilha do Governador. Suas raízes são tão largas que um casal de moradores de rua fez delas sua moradia.

Esperança e novas mudas

No início do mês, o Baobá conhecido como João Gordo, em Paquetá, foi arrancado. Apesar da violência, a árvore tem chance de sobreviver. No sábado, Egas foi ao local, onde colocou uma placa com os dizeres ‘Força João Gordo’ junto com o grupo Plantar Paquetá, além de plantar outras árvores protegidas.
Ainda nessa semana, a prefeitura vai plantar mudas nos canteiros das calçadas.
A ação começa pelas ruas de Copacabana, na Zona Sul. Serão 200 mudas de Palmeira Imperial, Oiti, Resedá, e Ipê -Roxo, entre outras, que serão plantadas nos canteiros vazios.
“Pedimos à população que não deixem fechar os canteiros nas calçadas cujas árvores caíram ou foram cortadas, porque vamos sempre replantar nesses espaços”, disse o secretário.
Um dos canteiros fechados foi na Rua Silveira Martins, onde a prefeitura fez o plantio de uma Sibipuruna, após denúncia do arquiteto e paisagista José Guimarães. “O dia em que flagrei o pedreiro fechando esse canteiro no bairro, eu conversei com o síndico do condomínio e ele não se mostrou sensível”, afirmou.

Comentários